Eficiência modelar do servidor público

Quem já tinha conta-salário no século passado certamente lembra que era possível depositar um dinheiro em Porto Alegre em um conta corrente em Fortaleza e, no momento seguinte, o titular sacar o valor em um terminal de autoatendimento na Capital Federal. Nos EUA, por exemplo, não funcionava assim. A disponibilidade de fundos dependia exclusivamente daContinuar lendo “Eficiência modelar do servidor público”

Criptomoedas – o valor

No criptomundo monetário, por incrível que possa parecer, um bitcoin vale exatamente um bitcoin! Como qualquer outra moeda, na sua esfera de aceitação os preços são nominados todos na unidade de valor. Já vimos previamente o que seja o dinheiro, sua digitalização e como surgiu a pioneira das criptomoedas. Como antes explicado, no ambiente próprioContinuar lendo “Criptomoedas – o valor”

Quadrinhos – parte VII

Eu a conheci nas lides sindicais dos funcionários do Banco Central. E desde logo percebi em Cleide Napoleão uma rara combinação de sensibilidade para com o próximo com o traço artístico com que desenha. Hoje aposentada do Banco Central, com dois filhos, aproveita a quarentena para produzir máscaras a quem precisa. “Prata da Casa”, teveContinuar lendo “Quadrinhos – parte VII”

Onde está o dinheiro?

A união heterodoxa que vai se formando no Brasil, em favor da expansão da base monetária, é também fruto da eclosão pandêmica no país que, por um lado, supera hoje a China óbitos de infectados e, por outro, mata diariamente mais do que os vitimou as nossas Forças Expedicionárias a segunda guerra mundial. Já havíamosContinuar lendo “Onde está o dinheiro?”

Dinheiro? Se não tem, basta “imprimir” mais

Falamos sobre o dinheiro como mercadoria e a alta do seu preço mesmo quando a procura é escassa, diante da oferta. Mas, e se a produção de moeda – não as cédulas, mas a base monetária – crescesse muito, o que aconteceria? Para avaliar, é preciso conceituar o que seja a base monetária, formada pelosContinuar lendo “Dinheiro? Se não tem, basta “imprimir” mais”

Juros mais altos na recessão – conclusão

No artigo introdutório, procuramos demonstrar que o dinheiro, a par de equivalente universal das mercadorias, é ele próprio objeto de intermediação mercantil. Nessa condição, o preço do dinheiro – a taxa de juros – deveria ser regulado pela famosa lei da oferta da procura do capitalismo. Assim, quanto menos dinheiro disponível, mais caro ele é.Continuar lendo “Juros mais altos na recessão – conclusão”

Juros mais altos na recessão – uma introdução

Yuval Harari, o famoso historiador, está correto quando afirma que o dinheiro – o seu valor, não as cédulas e moedas que o representam – é fruto da imaginação humana. Nos tempos modernos, institui-se o ouro como equivalente universal das mercadorias, aqueles itens que os produtores queriam trocar entre si. Imaginem um costureiro produzindo máscarasContinuar lendo “Juros mais altos na recessão – uma introdução”

Banco Central e o coronavírus (2)

Ontem tratamos do posicionamento do Presidente do Banco Central do Brasil no enfrentamento à pandemia, registrando sua apresentação online para dirigentes financeiros e clientes da XP Investimentos. As curvas que delinearam o final do artigo anterior foram objeto de alguns comentários por leitores. De comum, acrescentaram que o seu alongamento, modelo ideal de se obter,Continuar lendo “Banco Central e o coronavírus (2)”

Banco Central e o coronavírus

O Presidente do Banco Central do Brasil esteve na noite do dia 4 de Abril na firma de investimentos XP para apresentar, antes mesmo de à Nação, os fundamentos das medidas em curso pela Autoridade monetária no enfrentamento à crise sanitária. Roberto Campos Neto falou aos clientes convidados para a transmissão ao vivo sobre osContinuar lendo “Banco Central e o coronavírus”

Injeção de liquidez sem riscos

O Banco Central do Brasil anunciou há poucos dias uma injeção de liquidez de R$ 1,2 trilhão no sistema financeiro. A quem acompanha à distância o trabalho da autarquia, uma breve explicação: a política monetária adotada para conter a inflação à meta projetada é executada colocando e retirando dinheiro de circulação, sempre por meio deContinuar lendo “Injeção de liquidez sem riscos”