Identificando os verdadeiros vilões [das altas taxas de juros no Brasil]

Ganhou repercussão na mídia especializada o “trabalho para discussão” publicado pelo Banco do Central do Brasil, em língua estrangeira, de autoria do economista e servidor da autarquia Thiago Trafane Oliveira Santos. Em nota de seu colega e ex-presidente do BCB Gustavo Loyola, teve o título traduzido como ‘Altas taxas de juros de empréstimos no Brasil:Continuar lendo “Identificando os verdadeiros vilões [das altas taxas de juros no Brasil]”

No 1º trimestre de 2021, lucro dos grandes banco tem crescimento de 35,2% e dividendos são o quarto maior da amostra

A Economática provê uma plataforma de análise do desempenho das ações de empresas listadas em bolsa de valores, voltada à obtenção de ganhos em fundos de investimentos naquele mercado. Seus estudos, no entanto, revelam outro aspecto do capitalismo financeiro que quem não é acionista ou especulador do mercado secundário em regra fica só com aContinuar lendo “No 1º trimestre de 2021, lucro dos grandes banco tem crescimento de 35,2% e dividendos são o quarto maior da amostra”

Prepostos e Desmanche dos Bancos Públicos

Publicado originalmente em Blog Cidadania & Cultura:
No Brasil, o preposto é o representante ou o delegado, autorizado por alguém acima na hierarquia para representa-lo. Tem seu cargo dependente de autoridade superior – e na maioria, no caso do atual (des)governo, se dobram aos propósitos não republicanos do mandatário “Posto Ipiranga”, o inacreditável ministro da…

Autonomia do BCB: vetos de Bolsonaro permitem diretor banqueiro e sem dedicação exclusiva ao interesse público

A Lei Complementar nº 179, de 24.2.2021, “Define os objetivos do Banco Central do Brasil e dispõe sobre sua autonomia e sobre a nomeação e a exoneração de seu Presidente e de seus Diretores”. Já tratamos sobre a missão expandida do BCB em Autonomia Independente? e havíamos projetado o modelo cidadão de autoridade monetária emContinuar lendo “Autonomia do BCB: vetos de Bolsonaro permitem diretor banqueiro e sem dedicação exclusiva ao interesse público”

Bancões e Banquetas: Leia a Pesquisa

Publicado originalmente em Blog Cidadania & Cultura:
No passado, jornal no dia seguinte só servia para “embrulhar peixe”. Aí, os peixeiros inovadores, para provar o peixe ser fresco, passaram a embrulhar com o jornal do dia! Hoje, jornais impressos estão deixando de ser lidos. E os digitais só têm suas manchetes lidas com vista-d’olhos em smartphones ou tablets.…

Banco Central Utópico: Crítica ao Real

Publicado originalmente em Blog Cidadania & Cultura:
Andre de Melo Modenesi é professor associado ao Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro e pesquisador do CNPq. Publicou artigo muito didático (Le Monde Diplomatique, 20 de agosto de 2020) sobre a atuação ideal da Autoridade Monetária de acordo com a teoria pós-keynesiana, MMT…

O insaciável apetite dos bancos

Paulo Kliass O Vermelho trouxe novo artigo de Paulo Kliass com análise sobre o setor financeiro no Brasil, ao qual cabe somente um complemento de nossa parte. Em países como os EUA e a China é dever do Banco Central nacional, ao par preservar o poder de compra da moeda e bom funcionamento sistema financeiro,Continuar lendo “O insaciável apetite dos bancos”

R$ 1,2 trilhão liberado. Para quem?

A seção regional gaúcha do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central – Sinal – reuniu especialistas para debater sobre a injeção de liquidez aos bancos, liberada no primeiro dia da calamidade pública. Sob mediação de Luiz Fernando Trasel, Especialista do Banco Central e dirigente sindical, reuniram-se mestres e doutores em Direito e Economia paraContinuar lendo “R$ 1,2 trilhão liberado. Para quem?”

Desigualdade da riqueza financeira no Brasil

Somos assinantes do blogue Cidadania&Cultura. E, graças à iniciativa da Associação dos Funcionários do BNDES, tivemos a honra de ouvir ao vivo seu titular, também da Economia da Unicamp, Fernando Nogueira da Costa. O acadêmico explicou que o desenvolvimento capitalista demanda, além de capital, crédito a quem detenha o primeiro. Enquanto este foi farto noContinuar lendo “Desigualdade da riqueza financeira no Brasil”

Como trabalhar com um chefe destes?

Provavelmente foi figurativa a linguagem. Mas quando o chefe dos servidores públicos diz que cada um tem que trabalhar “com uma granada no bolso”, como assegurar um bom desemprenho dos seus subordinados? Com duzentos reais por mês? O sujeito não fez, nem muito menos passou, em qualquer concurso público, nem aqui nem no Chile. AchaContinuar lendo “Como trabalhar com um chefe destes?”