PEC da Reforma Administrativa ou o desmonte do serviço público

Ricardo Prado Pires de Campos, no Consultor Jurídico Em Movimento internacional de capitais desfavorável ao Brasil já notamos o papel facilitador do governo nas tenebrosas transações que não mais fazem que concentrar o capital em braços que nem um pedaço do meu pode ser. Campos desnuda um dos mecanismos que se tenta aprovar em meioContinuar lendo “PEC da Reforma Administrativa ou o desmonte do serviço público”

Prepostos e Desmanche dos Bancos Públicos

Publicado originalmente em Blog Cidadania & Cultura:
No Brasil, o preposto é o representante ou o delegado, autorizado por alguém acima na hierarquia para representa-lo. Tem seu cargo dependente de autoridade superior – e na maioria, no caso do atual (des)governo, se dobram aos propósitos não republicanos do mandatário “Posto Ipiranga”, o inacreditável ministro da…

O fim do serviço público como hoje conhecemos

com informações de Rodrigo Lucas, na Hora do Povo “Reforma do funcionalismo prejudicará quem mais precisa do serviço público” Paulo Lino Gonçalves, Presidente do Sinal Mais destaques: Os impactos serão enormes. Podemos dizer que é o fim do serviço público como hoje existe, que é voltado para o Estado e para a sociedade e oContinuar lendo “O fim do serviço público como hoje conhecemos”

Breve história do desprestígio do servidor no desmonte do serviço público brasileiro

O servidor é a corrente que leva o serviço público ao cidadão Não há como se conceber o Estado sem se considerar o servidor público que, como proferiu Flauzino Antunes no canal Sou+DF, é o cidadão especializado em prover seus concidadãos dos direitos inscritos no universo legal brasileiro. Se o governo precisa dispor de assessoresContinuar lendo “Breve história do desprestígio do servidor no desmonte do serviço público brasileiro”

Hoje é dia nacional de luta em defesa do serviço público

Com informações do Apito Brasil Emenda Constitucional (EC) 95, reforma da Previdência, EC 109 – PEC Emergencial e, agora, reforma administrativa. Nos últimos anos, o setor público foi alvo de uma escalada de ataques e ameaças que, ao que tudo indica, não deve ter seu ímpeto reduzido tão cedo. Diante desta perspectiva, não nos restaContinuar lendo “Hoje é dia nacional de luta em defesa do serviço público”

Política externa independente para o novo projeto de desenvolvimento nacional

A Cátedra Claudio Campos, da Fundação Maurício Grabois, deu seguimento ao seminário “Nacional-desenvolvimentismo e o novo projeto de desenvolvimento nacional“, tratando na segunda rodada da política externa independente e a defesa nacional. Ao abrir os trabalhos, o titular da cátedra Nilson Araújo rememorou as bases getulistas do nacional-desenvolvimentismo, em que o investimento público, o aumentoContinuar lendo “Política externa independente para o novo projeto de desenvolvimento nacional”

Bolsonaro é o promotor da pandemia

Carlos Alberto Pereira, na Hora do Povo* “A desgraça do povo é o seu programa eleitoral para 2022“ O presidente da República postergou três meses o Auxílio Emergencial. Numa manobra sórdida, usou o Auxílio para chantagear o Congresso a aprovar a PEC de Emergência ou PEC do Arrocho, que é reduzir os gastos com aContinuar lendo “Bolsonaro é o promotor da pandemia”

Emprego e renda por Estados e Municípios

Se, por evidente, o principal auxílio às pessoas esperarem em casa sua vez na fila das vacinas deve vir do Tesouro Nacional, isso não quer dizer que os entes subnacionais não podem contribuir, não só nesse momento de crise sanitária, com a formação e a renda dos seus munícipes mais vulneráveis. O exemplo maranhense éContinuar lendo “Emprego e renda por Estados e Municípios”

O caminho brasileiro para o nacional-desenvolvimentismo

Com informações da Hora do Povo e do Vermelho A Fundação Maurício Grabois, por meio da cátedra Cláudio Campos, deu início à construção de um projeto de país para o Brasil, como contribuição para, mais que superar a pandemia e o fascismo que pairam no ar, retomar as rédeas do desenvolvimento econômico e social brasileiro.Continuar lendo “O caminho brasileiro para o nacional-desenvolvimentismo”

Se a situação é de calamidade pública, por que a PEC emergencial não mexe nos juros, mas corta serviços públicos?

Enquanto os países desenvolvidos trabalham com 120% de suas receitas para combater as crises sanitária e econômica, e mesmo os emergentes se acreditam de 105%, o Brasil vai na contramão buscando limitar seus gastos em 95%, permitindo ao governante acionar cortes desde os 90% dos impostos arrecadados. Cortes sobre os direitos sociais, mas não sobreContinuar lendo “Se a situação é de calamidade pública, por que a PEC emergencial não mexe nos juros, mas corta serviços públicos?”