Economistas conclamam: “Pela democracia, contra o golpe, contra a miséria e a desordem social”

A Associação Brasileira de Economistas pela Democracia vem juntar sua voz a toda a sociedade civil em defesa das instituições democráticas, do respeito ao processo eleitoral e a seus resultados. Ameaças de invalidar a manifestação das urnas no próximo pleito vem se avolumando. Pequenos grupamentos sociais têm se locupletado com a crise política, econômica eContinuar lendo “Economistas conclamam: “Pela democracia, contra o golpe, contra a miséria e a desordem social””

Neoliberalismo não é [só] uma política econômica, é a dilaceração da civilização humana

Marcus Atalla, no Brasil 247 Não basta apenas trocar a política econômica neoliberal, são necessárias mudanças estruturais e profundas A mais renomada filósofa brasileira, Marilena Chaui constata que o Neoliberalismo é muito mais que uma política econômica. É uma forma de pensar, uma ideologia destrutiva de tudo que a humanidade considera civilizatório. Aniquila todas asContinuar lendo “Neoliberalismo não é [só] uma política econômica, é a dilaceração da civilização humana”

As diferenças na dotação de fatores de produção pode explicar as diferenças observadas na complexidade econômica entre os países?

Publicado originalmente em José Luis Oreiro:
Nas últimas semanas tenho escrito neste espaço e no blog do Corecon-DF (https://corecondf.org.br/a-misallocation-ou-alocacao-ineficiente-de-recursos-explica-o-desenvolvimento-desigual-algumas-consideracoes-a-partir-da-literatura-de-crescimento-e-desenvolvimento-economico/?doing_wp_cron=1650208246.2216649055480957031250 e https://corecondf.org.br/diferencas-na-taxa-de-poupanca-e-no-capital-humano-explicam-por-que-os-paises-ricos-sao-ricos-e-os-paises-pobres-continuam-pobres/?doing_wp_cron=1650208276.2210750579833984375000) artigos nos quais argumento que a assim chamada “teoria convencional” (leia-se teoria neoclássica) tem uma enorme dificuldade para explicar a magnitude das diferenças internacionais dos níveis de renda per-capita. A teoria convencional procura explicar…

O setor público brasileiro tem produtividade bem alta e emprega relativamente pouco!

Paulo Gala / Economia & Finanças O professor doutor da FGV Paulo Gala, economista-chefe e CEO em instituições financeiras e fundos de investimentos, traz dados reveladores do setor público brasileiro. De se notar que, no país, a mineração e os serviços de utilidade pública, líderes em produtividade e “acima do gráfico” tanto no Brasil comoContinuar lendo “O setor público brasileiro tem produtividade bem alta e emprega relativamente pouco!”

BNDES e Fundos de Infraestrutura

Publicado originalmente em Blog Cidadania & Cultura:
Taís Hirata (valor, 17/01/22) informa: o BNDES deverá investir até R$ 2,5 bilhões em fundos de infraestrutura, que serão selecionados por meio de um processo competitivo. Nesta segunda-feira (17), o banco de fomento abre uma chamada pública para escolher até cinco fundos. Serão alocados, no máximo, R$ 500 milhões em…

O Brasil e o mundo, edição nº 1.000

Após pouco mais de dois anos de atividade, chegamos à milésima publicação de Brasil e o Mundo. Muito pudemos aprender desde que falamos da vanguarda previdenciária maranhense e, espero, um pouco contribuímos para o resgate e desenvolvimento da obra dos que nos antecederam. Desde que contratamos a WordPress para editar e armazenar nossos conteúdos eContinuar lendo “O Brasil e o mundo, edição nº 1.000”