“Queriam que eu assinasse nota ilegal de R$ 225 milhões”, diz servidor perseguido por Bolsonaro

Sérgio Cruz, na Hora do Povo Não se trata mais de uma mera “rachadinha” nos gabinetes famigliares, o que já é muito grave, mas de tentativa de desvio de milhões dos cofres públicos; é a estabilidade do servidor que protege o bem público, permitindo que cuide do interesse da população sem a pressão de umContinuar lendo ““Queriam que eu assinasse nota ilegal de R$ 225 milhões”, diz servidor perseguido por Bolsonaro”

Propineiros e a gestão do patrimônio privado-estatal nacional: caso Braskem

Nos últimos dias, havíamos notado que o movimento internacional de capitais é desfavorável ao Brasil e que operadores e governantes procuram facilitar o desvio do patrimônio nacional à troca de uma comissão ou promessa de emprego. Para essa duplamente abjeta finalidade, José Carlos Grubisich, ex-presidente da Braskem e réu confesso nas cortes estadunidenses, segundo informaçõesContinuar lendo “Propineiros e a gestão do patrimônio privado-estatal nacional: caso Braskem”

Prepostos e Desmanche dos Bancos Públicos

Publicado originalmente em Blog Cidadania & Cultura:
No Brasil, o preposto é o representante ou o delegado, autorizado por alguém acima na hierarquia para representa-lo. Tem seu cargo dependente de autoridade superior – e na maioria, no caso do atual (des)governo, se dobram aos propósitos não republicanos do mandatário “Posto Ipiranga”, o inacreditável ministro da…

Fachin desconstrói condenações de Lula e suspeição de Moro para salvar trabalho da Lava Jato

Carlos Lopes, na Hora do Povo É compreensível que uma decisão como a do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), na segunda-feira (08/03) à tarde, cause uma certa comoção. Entretanto, o mais significativo – e aparentemente, mas só aparentemente, esdrúxulo – é a raiva dos que encararam a decisão de Fachin como umContinuar lendo “Fachin desconstrói condenações de Lula e suspeição de Moro para salvar trabalho da Lava Jato”

O “cheque de 20 bilhões” do senhor Presidente da República

Não se passaram muitos dias desde que o Presidente da República Federativa do Brasil, Jair Bolsonaro, garantiu ter um “cheque de R$ 20 bilhões” para comprar vacinas, mas o “produto está em falta”. Se de incompetência ou irresponsabilidade, o fato é que, mais de um ano após o início da pandemia global, o país aindaContinuar lendo “O “cheque de 20 bilhões” do senhor Presidente da República”

Balcão de negócios elege Lira e desmascara de vez a “nova política” de Bolsonaro

Informações apontam que foram gastos do orçamento cerca de R$ 3 bilhões em emendas pagas aos deputados para votar no candidato bolsonarista Marcos Verlaine, na Hora do Povo A julgar pela compra das vacinas do Butantan, há o risco, para os negocistas, de a fatura não ser paga pelo Executivo, encurtando a vida do estelionatoContinuar lendo “Balcão de negócios elege Lira e desmascara de vez a “nova política” de Bolsonaro”

Não roubar, não deixar roubar, por na cadeia quem roube

in memorian de Ulisses Guimarães Sergio Fausto e a Fundação FHC reuniram um Juiz de Direito, uma Procuradora da República e um Professor de Direito para falar do combate à corrupção. Em comum, todos concordam que, mais que as ações punitivas, indispensáveis, a prevenção pela norma legal e o avanço cultural do Brasil são aContinuar lendo “Não roubar, não deixar roubar, por na cadeia quem roube”

Façanha do amigo de Bolsonaro é o retrato de seu governo

O Chefe de Redação da Hora do Povo, dr. Carlos Lopes, combinou o domínio da psiquiatria com a avaliação do que há de mais baixo na história da República. Lembrando da famosa expressão popular “encher o rabo de dinheiro”, Lopes mostra a generalidade do escatológico comportamento nas rachadinhas, depósitos para a primeira-dama e chocolaterias. JáContinuar lendo “Façanha do amigo de Bolsonaro é o retrato de seu governo”

Em Brasília, 14 horas

e quinze minutos do dia de Maio de 2020 a agenda oficial da Presidência da República indicava compromisso com o senhor Frederick Wassef, advogado. Nas semanas seguintes, veio a público a informação que foi recebido nada menos que o procurador da pessoa do Presidente em pelo menos três ações judiciais, além de outras em figuravamContinuar lendo “Em Brasília, 14 horas”