A “esquerda” que o capital quer e a frente ampla que o Brasil precisa

A Fundação FHC trouxe o filósofo Pablo Ortellado e a matemática Tatiana Roque, ela primeira suplente da bancada federal fluminense do PSOL, para conversar* sobre o avanço conservador que se extremou com a eleição de Jair Bolsonaro e os desafios do chamado campo de esquerda no momento atual da politica brasileira. Ortellado observou que oContinuar lendo “A “esquerda” que o capital quer e a frente ampla que o Brasil precisa”

Tirar dinheiro da Cultura é o mesmo que queimar livros

A Cultura sofre uma séria ameaça em nosso País. O obscurantismo, ou seja, a negação do conhecimento e, portanto, da ciência e da cultura, é característica típica do fascismo. O bando fascista que se apoderou do governo não ficou apenas no discurso anticultura. Depois de haver nomeado para os cargos do governo que cuidam daContinuar lendo “Tirar dinheiro da Cultura é o mesmo que queimar livros”

Charles Chaplin e o Presidente do Brasil

Quando a sensibilidade do artista nos agracia com a essência da figura presidencial, acreditamos não termos exagerado quando lhe fizemos – ao presidente – um paralelo de seus gestos e atos com a ascensão do nazismo na Alemanha de outrora. Por isso, reveste-se de atualidade o discurso de Charles Chaplin no filma “O Grande Ditador”:Continuar lendo “Charles Chaplin e o Presidente do Brasil”

Sobre a ascensão do nazismo e a frente ampla

Recebemos um artigo de Osvaldo Coggiola, escrito neste século, a deduzir da mais recente fonte citada na bibliografia. Ele aborda a ascensão do nazismo considerando os papeis que acredita terem tido Hitler, Trotsky e Stalin, de modo que trataremos o texto de 14 páginas nesta introdução e em três capítulos suplementares. Como veremos em detalheContinuar lendo “Sobre a ascensão do nazismo e a frente ampla”

Entre a bravata e a realidade

Claro que a palavra é livre – em casa, na rua, em qualquer lugar. Inclusive em reuniões políticas de certo porte. A realidade é muito complexa para que se contenha a expressão do pensamento em regras rígidas ou gabaritos de pretenso bom senso. Mas quando se tem responsabilidade sobre os rumos deste ou daquele movimentoContinuar lendo “Entre a bravata e a realidade”