Neoliberalismo não é [só] uma política econômica, é a dilaceração da civilização humana

Marcus Atalla, no Brasil 247 Não basta apenas trocar a política econômica neoliberal, são necessárias mudanças estruturais e profundas A mais renomada filósofa brasileira, Marilena Chaui constata que o Neoliberalismo é muito mais que uma política econômica. É uma forma de pensar, uma ideologia destrutiva de tudo que a humanidade considera civilizatório. Aniquila todas asContinuar lendo “Neoliberalismo não é [só] uma política econômica, é a dilaceração da civilização humana”

O “plano Brady” e a conversão das dívidas prescritas

Do livro resultante do seminário internacional sobre auditoria da dívida pública já havíamos trazido a contribuição de Daniel Libreros, sobre como o endividamento tornou-se um dos mais lucrativos negócios privados. Agora resumimos a participação do historiador Olmos Gaona, que mostra às páginas 33-35 como a cabeça financeira do país globalmente hegemônico no final do séculoContinuar lendo “O “plano Brady” e a conversão das dívidas prescritas”

A dívida pública como [um dos melhores] negócio privado

Quando da exposição que fizemos à RBA Litoral sobre as perspectivas do Brasil para 2022, a dívida pública e o dispêndio anual de juros sobre ela, mais relevante que a própria folha de salários da União, suscitou a questão trazida por um ouvinte, assinante também desta página: “por qual razão tivemos essa elevação da dívidaContinuar lendo “A dívida pública como [um dos melhores] negócio privado”

A “internacional financeira”

Eduardo Bomfim, no Bonifácio No atual milênio, a concentração e centralização do capital financeiro especulativo atingiu tal dimensão e gigantismo, que este passou a controlar não apenas os fluxos globais das riquezas, mas, estendeu-se aos diversos segmentos vitais às identidades dos povos do mundo, investindo, em especial nas novas gerações, incentivando, maciçamente, no que HobsbawmContinuar lendo “A “internacional financeira””

FGV: economia estagnada e em declínio em outubro

Informações da Hora do Povo O anúncio da retração de 0,7% do índice Monitor do Produto Interno Bruto (PIB) da Fundação Getúlio Vargas (FGV) de outubro em relação a setembro é mais um indicador de que economia está muito mal e sem perspectivas de melhoras à frente. “A economia brasileira continua estagnada com declínio emContinuar lendo “FGV: economia estagnada e em declínio em outubro”

Desindustrialização e dolarização no Brasil

O professor titular do Instituto de Economia da Unicamp, Fernando Nogueira da Costa, tratou em seu blogue Cidadania&Cultura, que assinamos, sobre a nova regulamentação do mercado de câmbio no Brasil e a participação brasileira na feira chinesa de importação. Os temas ganham conexão por serem, ambos, relacionados à posição do Brasil na cadeia global deContinuar lendo “Desindustrialização e dolarização no Brasil”

Economistas temem que série de crises provocadas por Bolsonaro alimente recessão em 2022

Publicado originalmente em José Luis Oreiro:
Alta da inflação, baixa dos reservatórios de hidrelétricas, real desvalorizado, desemprego resistente. Se o cenário econômico do Brasil neste segundo semestre já seria desafiador para qualquer governante, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) conseguiu deixá-lo ainda mais incerto. Desde seus discursos com ameaças golpistas, no dia 7 de setembro,…

Criatividade e dependência na periferia

Celso Furtado, por Rubens R. Sawaya in Pensamento Nacional-desenvolvimentista, cap. 27 Criatividade e dependência da civilização industrial (1978) […] é uma obra […] surgida da necessidade de refletir e buscar respostas para o problema do desenvolvimento em economias periféricas. Rubens resume a definição furtadiana de civilização industrial, em que a periferia latino-americana penetrou de formaContinuar lendo “Criatividade e dependência na periferia”

Agora é a vez do cafezinho

Com informações da Hora do Povo A alta de até 40% nos supermercados deriva dos “preços internacionais” e da “alta do dólar”, privando os produtores de terminar bem a refeição. Depois do feijão com arroz, outra tradicional combinação do brasileiro vai ficar ainda mais cara. Trata-se do café com leite. O café deve chegar àContinuar lendo “Agora é a vez do cafezinho”

Acionistas estrangeiros da Petrobrás embolsam bilhões com combustíveis na lua e privatizações

Hora do Povo, com informações da Aepet Se em Desnacionalização Haroldo Lima apontava, em 2001, os efeitos perniciosos da propriedade estrangeira das nossas empresas, o noticiário da semana traz um exemplo prático na casa dos bilhões. Mais do que nunca é desejável unir a nação e romper com a dependência. A decisão do Conselho deContinuar lendo “Acionistas estrangeiros da Petrobrás embolsam bilhões com combustíveis na lua e privatizações”