Prá não dizer que não falei de flores

Na interpretação de Luiz Gonzaga, o Lua Geraldo Vandré Caminhando e cantando e seguindo a cançãoSomos todos iguais, braços dados ou nãoNas escolas, nas ruas, campos, construçõesCaminhando e cantando e seguindo a canção Vem, vamos embora, que esperar não é saberQuem sabe faz a hora, não espera acontecerVem, vamos embora, que esperar não é saberQuemContinuar lendo “Prá não dizer que não falei de flores”

Os filhos de Khalil Gibran

Khalil Gibran (1883-1931) foi um ensaísta, prosador, poeta, conferencista e pintor de origem libanesa, também considerado um filósofo, embora ele mesmo tenha rejeitado esse título. Seus livros e escritos, de simples beleza e espiritualidade, são reconhecidos e admirados para além do mundo árabe. Seus filhos não são seus filhos. São os filhos e filhas da VidaContinuar lendo “Os filhos de Khalil Gibran”

Fim-de-semana da edição nº 1.000

#VacinaSim Domingo, às 15h, sarau; segunda, às 19h, cinema italiano; passatempo histórico; e dois filmes dos anos 20: Nosferatu e Metrópolis Edição anterior Resposta aos dois enigmas: O fósforo; Acenda as pontas de uma das cordas e somente uma da outra corda. Quando a primeira terminar de queimar (meia hora), acenda a segunda ponta daContinuar lendo “Fim-de-semana da edição nº 1.000”

José Aron Sendacz, um homem do mundo

Coligimos aqui o que já publicamos de José Aron Sendacz, cuja obra foi organizada por Hugueta Sendacz no livro Um Homem do Mundo. José Sendacz, um justo Viagem à Polônia (1954) Taib: discurso inaugural Janusz Korczak: escritor, mártir pedagogo POEMAS Ao teu encontro vou – oh dia! Mocinha Estou rindo 50 anos! (13 de Maio)Continuar lendo “José Aron Sendacz, um homem do mundo”

Manifesto

Paulo Mendes e Ronaldo Bertoletti Já conhecíamos o economista e servidor federal aposentado Paulo Mendes, em atividade líder dos funcionários das agências reguladoras, entre outros, por sua avaliação das elites brasileiras. O que se revela agora é a sua verve poética e musical autodidata. Outrora nos seus dezesseis anos, o candango nos legou a peçaContinuar lendo “Manifesto”

Thiago de Mello, dois poemas imortais

Um dos grandes nomes da poesia brasileira, Thiago de Mello, completou a sua obra nesta sexta-feira (14), em Manaus, aos 95 anos. Segundo amigos amazonenses, “o poeta partiu como um passarinho”.  (Ana Lucia, Hora do Povo) Madrugada Camponesa Madrugada camponesa, faz escuro ainda no chão, mas é preciso plantar. A noite já foi mais noite,Continuar lendo “Thiago de Mello, dois poemas imortais”

Samba da utopia

Samba de Jonathan Silva in memorian de Marielle Franco Se o mundo ficar pesadoEu vou pedir emprestadoA palavra POESIA Se o mundo emburrecerEu vou rezar pra choverPalavra SABEDORIA Se o mundo andar pra trásVou escrever num cartazA palavra REBELDIA Se a gente desanimarEu vou colher no pomarA palavra TEIMOSIA Se acontecer afinalDe entrar em nossoContinuar lendo “Samba da utopia”