Taxa de transmissão da covid no Brasil é a maior desde maio

O Universo Online traz estudo do Imperial College, retratado em matéria do Estadão, apontando índice para lá de preocupante. Não importa se é primeira ou segunda onda, já se lê notícias de alta ou mesmo total ocupação de leitos nas redes hospitalares e vidas sendo prematuramente encerradas por um ser microscópico. A taxa de transmissãoContinuar lendo “Taxa de transmissão da covid no Brasil é a maior desde maio”

Coronavírus: Santos não está preparada para nova onda de covid 19

Paulo Passos, para o Sindest Quando a segunda onda de covid 19 chegar ao Brasil, Santos não estará preparada para neutralizá-la e não atenderá suas vítimas com eficiência na rede pública de saúde. A opinião é do presidente do sindicato dos servidores municipais estatutários (Sindest), Fábio Marcelo Pimentel. Em ‘live’ da entidade na sexta-feira, eleContinuar lendo “Coronavírus: Santos não está preparada para nova onda de covid 19”

O capitalismo é a razão pela qual COVID-19 está devastando a América

Matthew Rozsa entrevistou Richard Wolff* A Salon debate o cotidiano estadunidense com dez milhões de visitantes únicos naquele país. A semelhança de devastação pandêmica entre o Brasil e os EUA e a íntima adoração do Presidente Jair Messias por tudo que vem de lá fazem merecer a nossa atenção à análise do economista Richard WolffContinuar lendo “O capitalismo é a razão pela qual COVID-19 está devastando a América”

#vaitervacina

Apesar de V. Incompetência… O combate antiviral deposita esperanças, como as sociedades humanas fazem há mais de um século, na conquista de uma vacina contra a Covid-19 e suas variantes, da mesma forma que existem outras que previnem a poliomielite e o sarampo. No entanto, a Semana da Pátria só faz acumular insucesso das poucoContinuar lendo “#vaitervacina”

Acabou a pandemia?

Pretendíamos atualizar a situação da Baixada Santista com o mês fechado, mas a manchete d’A Tribuna não permite esperar. A foto comprova a ausência de isolamento social em Santos, agora menor que a média do Estado e também entre os municípios vizinhos. Se todo dia quarenta caiçaras são internados por Covid, fica claro que oContinuar lendo “Acabou a pandemia?”

100 mil não vão “tocar a vida”

A antiga tradição mosaica reserva o sábado para a celebração da Paz e de uma boa semana. Hoje, uma marca não traz motivo para qualquer comemoração. Quando as mortes por um mero vírus ganham um zero a mais no Brasil, o Presidente do “E daí?” sugere tocar a vida, benção que não mais albergará cemContinuar lendo “100 mil não vão “tocar a vida””

Baixada Santista: situação sanitária em agosto

Por dois meses é cadente o número de internações na Baixada Santista e, felizmente, a disponibilidade de leitos de UTI voltou a aumentar na região. O isolamento social tem sido reduzido mais discretamente do que a flexibilização permitida pelas autoridades sugeriria, como se vê no exemplo ao lado. Então, por que a Baixada Santista fechouContinuar lendo “Baixada Santista: situação sanitária em agosto”

Covid-19 na Baixada Santista, após três meses de calamidade pública

Embora em queda, a contaminação, internação de doentes e óbitos ainda avançam no litoral paulista. No Estado de São Paulo, a calamidade pública foi decretada pelas autoridades em 20.4.2020. O isolamento social vinha se mantendo estável entre 45% e, aos domingos, 50%, abrindo a semana alguns pontos abaixo, em razão das novas medidas de flexibilização.Continuar lendo “Covid-19 na Baixada Santista, após três meses de calamidade pública”

Ajuda imergencial

O ato ou efeito de imergir apresenta-se como o antônimo de emergência, daí a licença poética do título. Se o auxílio foi estabelecido pelo Congresso Nacional em R$ 600, menos que o salário mínimo, que razão há para retardar em 30 a 90 dias o saque em dinheiro da parcela? Nos tempos da gripezinha, eramContinuar lendo “Ajuda imergencial”

Presidente Peter Pan

Voltam à imprensa comentários sobre o sonho de Bolsonaro de deixar o Brasil parecido com “42, 52 anos atrás”, dois anos depois da promessa eleitoral famosa. Ao Presidente da República correspondia o tempo da puberdade, antes ainda de seus atos de terrorismo de baixa potência e da sua quase inócua carreira parlamentar, em que, mêsContinuar lendo “Presidente Peter Pan”