Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (final)

Carlos Alberto Pereira destacou como mais relevante medida o estabelecimento do salário-mínimo, com as observações abaixo acompanhadas de suas considerações finais ao novo projeto de desenvolvimento nacional. O salário-mínimo A medida mais profunda e efetiva no sentido da melhoria das condições de vida do trabalhador e da consolidação do mercado interno, foi o estabelecimento deContinuar lendo “Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (final)”

Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 4)

Getúlio Vargas adotou diversas medidas para valorizar o trabalho, como ferramenta para o fortalecimento do mercado interno, segundo Carlos Alberto Pereira. Como resgate da contribuição nacional-desenvolvimentista, são elas: A – Criação do Ministério do Trabalho – novembro de 1930 – chamado Ministério da Revolução, Um ministério para zelar e ampliar os direitos dos trabalhadores. UmContinuar lendo “Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 4)”

Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 3)

O terceiro bloco das considerações de Carlos Alberto Pereira volta-se ao fortalecimento do mercado interno, sob a ótica do nacional-desenvolvimentismo. Construção da Companhia Siderúrgica Nacional Sobre o investimento público O capital estrangeiro que dispunha de tecnologia para o setor de bens de capital, não tinha interesse em desenvolver o setor de máquinas, equipamentos e insumos.Continuar lendo “Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 3)”

Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 2)

Na primeira parte, Carlos Alberto Pereira estabeleceu o cenário de degeneração econômica e política da oligarquia cafeeira e a dependência ao imperialismo inglês. À sequência, o tema foi a Revolução de 30 e o programa revolucionário de Getúlio Vargas. A Revolução de 30 começa em 1º de março de 1922. A oficialidade jovem ansiava porContinuar lendo “Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 2)”

Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno

À construção do novo projeto nacional de desenvolvimento em debate na Fundação Maurício Grabois, Carlos Alberto Pereira procurou demonstrar “que a Revolução de 1930, liderada por Getúlio Vargas, pelo movimento tenentista e pelo empresariado nacional, foi uma revolução nacional, democrática e anti-imperialista, que derrubou a oligarquia cafeeira do poder, promovendo, assim, a burguesia industrial.“ PereiraContinuar lendo “Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno”

O caminho brasileiro para o nacional-desenvolvimentismo

Com informações da Hora do Povo e do Vermelho A Fundação Maurício Grabois, por meio da cátedra Cláudio Campos, deu início à construção de um projeto de país para o Brasil, como contribuição para, mais que superar a pandemia e o fascismo que pairam no ar, retomar as rédeas do desenvolvimento econômico e social brasileiro.Continuar lendo “O caminho brasileiro para o nacional-desenvolvimentismo”

O trabalho é o fio condutor para ler o lugar das mulheres na sociedade

No processo de preparação à 3ª Conferência do PCdoB pela Emancipação da Mulher, a noite de sexta foi reservada à plenária sindical do partido. Superlotaram a sala virtual homens e mulheres ligados à luta trabalhista e feminina. O título compõe a apresentação de Ana Rocha. Aos presidentes da CTB e da CGTB coube a palavraContinuar lendo “O trabalho é o fio condutor para ler o lugar das mulheres na sociedade”

Uma reflexão para o cair da tarde*

No Brasil, um brasileiro acordou e desligou o despertador fabricado na China, que marcava 8 horas da manhã. Calçou seu chinelo feito no Paraguai, tomou um banho quente no chuveiro elétrico também chinês e enxugou-se em uma toalha da Indonésia. Fez café na cafeteira importada do Japão e procurou trabalho no seu computador feito naContinuar lendo “Uma reflexão para o cair da tarde*”

Fisioterapia, uma crônica sobre o trabalho consciente

Meu modesto contato com a fisioterapia resume-se a um antigo tratamento de reeducação postural global e a certeza da atuação inclusiva dos profissionais da especialidade quando alguma função motora não vai bem. Mesmo assim, escolhi aleatoriamente os fisioterapeutas como personagem da crônica de hoje, como um modelo de organização social e laboral que vale paraContinuar lendo “Fisioterapia, uma crônica sobre o trabalho consciente”

Mundo do trabalho na China (II)

No debate promovido pelo FitMetal, dedicamos a primeira parte às lições trazidas por Milton Pomar* que, junto com Elias Jabbour*, tratava do trabalho na China. Aqui, comecemos por uma história trazida por ambos os geógrafos. Em 2010 a China promoveu a sua reforma trabalhista. Advogados brasileiros de firma idem lá estabelecidas reuniram-se a Pomar paraContinuar lendo “Mundo do trabalho na China (II)”