A retomada da indústria

Com Rene, a luta é para valer! Rene Vicente (PCdoB/SP 65789) foi presidente do Sintaema (trabalhadores do saneamento público) e da CTB em São Paulo e apresenta seu nome à uma cadeira na Assembleia Legislativa paulista. Reuniu os trabalhadores para discutir a retomada da indústria, como vetor do desenvolvimento de São Paulo. Com moderação deContinuar lendo “A retomada da indústria”

As diferenças na dotação de fatores de produção pode explicar as diferenças observadas na complexidade econômica entre os países?

Publicado originalmente em José Luis Oreiro:
Nas últimas semanas tenho escrito neste espaço e no blog do Corecon-DF (https://corecondf.org.br/a-misallocation-ou-alocacao-ineficiente-de-recursos-explica-o-desenvolvimento-desigual-algumas-consideracoes-a-partir-da-literatura-de-crescimento-e-desenvolvimento-economico/?doing_wp_cron=1650208246.2216649055480957031250 e https://corecondf.org.br/diferencas-na-taxa-de-poupanca-e-no-capital-humano-explicam-por-que-os-paises-ricos-sao-ricos-e-os-paises-pobres-continuam-pobres/?doing_wp_cron=1650208276.2210750579833984375000) artigos nos quais argumento que a assim chamada “teoria convencional” (leia-se teoria neoclássica) tem uma enorme dificuldade para explicar a magnitude das diferenças internacionais dos níveis de renda per-capita. A teoria convencional procura explicar…

O que quer o Brasil que trabalha?

“Nossa força está na unidade e luta por um Brasil mais democrático, soberano e justo” No dia 7 de Abril reuniram-se os trabalhadores brasileiros em sua Conferência Nacional – Conclat 2022. À abertura dos pronunciamentos, Adilson Araújo, presidente da Central dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Brasil, proferiu o sintético libelo pelo reconhecimento dos valoresContinuar lendo “O que quer o Brasil que trabalha?”

As mulheres e as saídas para a crise econômica no Brasil

Não à fome, ao desemprego e à carestia A principal atividade feminina do dia 8 de Março de 2022 foi promovida pela Confederação das Mulheres do Brasil (CMB), em conjunto com a União Brasileira de Mulheres (UBM), o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait) e o DireitosJá. Nas redes sociais, sob mediação daContinuar lendo “As mulheres e as saídas para a crise econômica no Brasil”

Getúlio Vargas e o 1º de Maio de 1954

Hoje estais com o governo, amanhã sereis governo Propositadamente trouxemos o título do capítulo 18 do Pensamento Nacional-desenvolvimentista para a linha fina, de modo a não causar qualquer confusão com o tempo presente, em que no governo estão genocidas e corruptos, em posição diametralmente oposta aos interesses nacionais e valores do trabalho. Em sua derradeiraContinuar lendo “Getúlio Vargas e o 1º de Maio de 1954”

Crise estrutural e o Novo Projeto Nacional de Desenvolvimento

No momento em que as Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e Central Geral dos Trabalhadores (CGTB) se unificam em seu V Congresso, fez importante saudação aos trabalhadores o professor pós-doutor e economista Nilson Araújo de Souza, sobre o novo projeto nacional de desenvolvimento. Pela relevância ao Brasil que quer produzir e fruirContinuar lendo “Crise estrutural e o Novo Projeto Nacional de Desenvolvimento”

Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (final)

Carlos Alberto Pereira destacou como mais relevante medida o estabelecimento do salário-mínimo, com as observações abaixo acompanhadas de suas considerações finais ao novo projeto de desenvolvimento nacional. O salário-mínimo A medida mais profunda e efetiva no sentido da melhoria das condições de vida do trabalhador e da consolidação do mercado interno, foi o estabelecimento deContinuar lendo “Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (final)”

Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 4)

Getúlio Vargas adotou diversas medidas para valorizar o trabalho, como ferramenta para o fortalecimento do mercado interno, segundo Carlos Alberto Pereira. Como resgate da contribuição nacional-desenvolvimentista, são elas: A – Criação do Ministério do Trabalho – novembro de 1930 – chamado Ministério da Revolução, Um ministério para zelar e ampliar os direitos dos trabalhadores. UmContinuar lendo “Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 4)”

Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 3)

O terceiro bloco das considerações de Carlos Alberto Pereira volta-se ao fortalecimento do mercado interno, sob a ótica do nacional-desenvolvimentismo. Construção da Companhia Siderúrgica Nacional Sobre o investimento público O capital estrangeiro que dispunha de tecnologia para o setor de bens de capital, não tinha interesse em desenvolver o setor de máquinas, equipamentos e insumos.Continuar lendo “Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 3)”