As diferenças na dotação de fatores de produção pode explicar as diferenças observadas na complexidade econômica entre os países?

Publicado originalmente em José Luis Oreiro:
Nas últimas semanas tenho escrito neste espaço e no blog do Corecon-DF (https://corecondf.org.br/a-misallocation-ou-alocacao-ineficiente-de-recursos-explica-o-desenvolvimento-desigual-algumas-consideracoes-a-partir-da-literatura-de-crescimento-e-desenvolvimento-economico/?doing_wp_cron=1650208246.2216649055480957031250 e https://corecondf.org.br/diferencas-na-taxa-de-poupanca-e-no-capital-humano-explicam-por-que-os-paises-ricos-sao-ricos-e-os-paises-pobres-continuam-pobres/?doing_wp_cron=1650208276.2210750579833984375000) artigos nos quais argumento que a assim chamada “teoria convencional” (leia-se teoria neoclássica) tem uma enorme dificuldade para explicar a magnitude das diferenças internacionais dos níveis de renda per-capita. A teoria convencional procura explicar…

O que quer o Brasil que trabalha?

“Nossa força está na unidade e luta por um Brasil mais democrático, soberano e justo” No dia 7 de Abril reuniram-se os trabalhadores brasileiros em sua Conferência Nacional – Conclat 2022. À abertura dos pronunciamentos, Adilson Araújo, presidente da Central dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Brasil, proferiu o sintético libelo pelo reconhecimento dos valoresContinuar lendo “O que quer o Brasil que trabalha?”

As mulheres e as saídas para a crise econômica no Brasil

Não à fome, ao desemprego e à carestia A principal atividade feminina do dia 8 de Março de 2022 foi promovida pela Confederação das Mulheres do Brasil (CMB), em conjunto com a União Brasileira de Mulheres (UBM), o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait) e o DireitosJá. Nas redes sociais, sob mediação daContinuar lendo “As mulheres e as saídas para a crise econômica no Brasil”

Getúlio Vargas e o 1º de Maio de 1954

Hoje estais com o governo, amanhã sereis governo Propositadamente trouxemos o título do capítulo 18 do Pensamento Nacional-desenvolvimentista para a linha fina, de modo a não causar qualquer confusão com o tempo presente, em que no governo estão genocidas e corruptos, em posição diametralmente oposta aos interesses nacionais e valores do trabalho. Em sua derradeiraContinuar lendo “Getúlio Vargas e o 1º de Maio de 1954”

Crise estrutural e o Novo Projeto Nacional de Desenvolvimento

No momento em que as Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e Central Geral dos Trabalhadores (CGTB) se unificam em seu V Congresso, fez importante saudação aos trabalhadores o professor pós-doutor e economista Nilson Araújo de Souza, sobre o novo projeto nacional de desenvolvimento. Pela relevância ao Brasil que quer produzir e fruirContinuar lendo “Crise estrutural e o Novo Projeto Nacional de Desenvolvimento”

Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (final)

Carlos Alberto Pereira destacou como mais relevante medida o estabelecimento do salário-mínimo, com as observações abaixo acompanhadas de suas considerações finais ao novo projeto de desenvolvimento nacional. O salário-mínimo A medida mais profunda e efetiva no sentido da melhoria das condições de vida do trabalhador e da consolidação do mercado interno, foi o estabelecimento deContinuar lendo “Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (final)”

Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 4)

Getúlio Vargas adotou diversas medidas para valorizar o trabalho, como ferramenta para o fortalecimento do mercado interno, segundo Carlos Alberto Pereira. Como resgate da contribuição nacional-desenvolvimentista, são elas: A – Criação do Ministério do Trabalho – novembro de 1930 – chamado Ministério da Revolução, Um ministério para zelar e ampliar os direitos dos trabalhadores. UmContinuar lendo “Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 4)”

Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 3)

O terceiro bloco das considerações de Carlos Alberto Pereira volta-se ao fortalecimento do mercado interno, sob a ótica do nacional-desenvolvimentismo. Construção da Companhia Siderúrgica Nacional Sobre o investimento público O capital estrangeiro que dispunha de tecnologia para o setor de bens de capital, não tinha interesse em desenvolver o setor de máquinas, equipamentos e insumos.Continuar lendo “Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 3)”

Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 2)

Na primeira parte, Carlos Alberto Pereira estabeleceu o cenário de degeneração econômica e política da oligarquia cafeeira e a dependência ao imperialismo inglês. À sequência, o tema foi a Revolução de 30 e o programa revolucionário de Getúlio Vargas. A Revolução de 30 começa em 1º de março de 1922. A oficialidade jovem ansiava porContinuar lendo “Valorização do trabalho e fortalecimento do mercado interno (parte 2)”