Paulo Guedes, a entrega do patrimônio público e da receita arrecadada

Cerca de um ano atrás, o Bonifácio trazia Os cálculos de Paulo Guedes, da Resenha Estratégica nº 17 do volume 18 (maio/2021). Trata-se da avaliação de uma promessa de campanha, quantificada pelo Posto Ipiranga, de arrecadar R$ 1 trilhão com a alienação de ativos da União, ativiade pouco republicana popularmente chamada de queima de patrimônioContinuar lendo “Paulo Guedes, a entrega do patrimônio público e da receita arrecadada”

BC prevê juros a 12,25% este ano

Hora do Povo Se a inflação se prevê em 5,5% para 2022 e o juro médio, digamos, fique em 11% (9,35% após imposto exclusivo na fonte), nesse cenário o juro real não será menor que 3,65%. Sobre uma base superior a R$ 5,6 trilhões, a transferência de recursos públicos seria de R$ 204 bilhões acimaContinuar lendo “BC prevê juros a 12,25% este ano”

O “plano Brady” e a conversão das dívidas prescritas

Do livro resultante do seminário internacional sobre auditoria da dívida pública já havíamos trazido a contribuição de Daniel Libreros, sobre como o endividamento tornou-se um dos mais lucrativos negócios privados. Agora resumimos a participação do historiador Olmos Gaona, que mostra às páginas 33-35 como a cabeça financeira do país globalmente hegemônico no final do séculoContinuar lendo “O “plano Brady” e a conversão das dívidas prescritas”

A dívida pública como [um dos melhores] negócio privado

Quando da exposição que fizemos à RBA Litoral sobre as perspectivas do Brasil para 2022, a dívida pública e o dispêndio anual de juros sobre ela, mais relevante que a própria folha de salários da União, suscitou a questão trazida por um ouvinte, assinante também desta página: “por qual razão tivemos essa elevação da dívidaContinuar lendo “A dívida pública como [um dos melhores] negócio privado”

O Retorno do Rentismo no Brasil

Publicado originalmente em José Luis Oreiro:
José Luis Oreiro* Link: https://www.fundacaoastrojildo.org.br/rpd-jose-luis-oreiro-o-retorno-do-rentismo-no-brasil/ Foto: José Luis Oreiro ??????????? A eliminação da alta inflação no Brasil a partir da implementação do Plano Real durante o governo Itamar Franco teve como efeito colateral a persistência de patamares extremamente elevados para a taxa real de juros de curto-prazo, a taxa…

Uma visão Keynesiana sobre a teoria monetária moderna e a dívida pública

O professor José Luis Oreiro compartilhou em sua página a apresentação que fez em 18.11.2021 ao Centro de Estudos Estratégicos da Câmara dos Deputados. Com os nossos agradecimentos, fica o registro a quem, como nós, deseja se aprofundar um pouco mais no estudo das finanças públicas. Dele, você também pode estudar, entre outros, A misériaContinuar lendo “Uma visão Keynesiana sobre a teoria monetária moderna e a dívida pública”

Economia de uma nota só

É bem conhecido o samba de uma nota só. Certos economistas parecem nele se inspirar para responder sempre com o mesmo argumento, qualquer que seja a contradição apresentada. Um desses exemplares expressa que qualquer insuficiência nas relações de produção brasileiras deriva do fato de o Estado pagar aposentadorias e mesmo salários aos que prestam, noContinuar lendo “Economia de uma nota só”

A origem da desigualdade, o custo do capital e a manutenção do poder

Gabriel Davi Pierin O portal Raiz Trabalhista traz artigo do professor Gabriel, sintetizador das contradições mais importantes do Brasil de hoje. Ele explica porque “o trabalhador e o pequeno produtor têm dificuldade de empreender e ascender socialmente” e “as desigualdades se mantêm como um projeto de poder e de riqueza nas mãos de poucos”.  OsContinuar lendo “A origem da desigualdade, o custo do capital e a manutenção do poder”

O assalto ao Estado e a reforma administrativa

Nenhum dos 513 Deputados Federais pode alegar desconhecimento dos malefícios da Reforma Administrativa após a audiência pública protagonizada por Maria Lúcia Fatorelli, titular da Auditoria Cidadã da Dívida, cuja íntegra abaixo se dispõe. O projeto de desmonte do serviço público como o conhecemos trará um Estado que não comanda o desenvolvimento nacional nem presta osContinuar lendo “O assalto ao Estado e a reforma administrativa”

A superação da grave crise financeira de Estados e Municípios

Em 19.10.2010 havíamos introduzido o curso ora completo da Escola Nacional de Formação da CTB, ministrado por José Carlos de Assis, economista e doutor em engenharia. Faz boa análise o professor da concentração de poderes e recursos públicos na União, em detrimento dos Estados e Municípios cuja prestação de serviço é mais próxima ao cidadão,Continuar lendo “A superação da grave crise financeira de Estados e Municípios”