Estou rindo!

Em 5 de dezembro de 1918, há cento e dois anos, portanto, nascia em Varsóvia, Polônia, José Aron Sendacz. Chegou ao Brasil em 1930, onde se fez nacional, criou família e a Casa do Povo. Nestas plagas, compôs na sua língua natal a sua homenagem a Scholem Aleichem, um dos grandes poetas do leste europeuContinuar lendo “Estou rindo!”

Varsóvia!

José Aron Sendacz, 1939 Varsóvia! Cidade em ruínas, Tu, que agora estás soterrada sob prédios arrasados, Com sangue inscreveste na história, Mais um capítulo de um povo martirizado. Tua espada quebrada está jogada sobre montes de cadáveres, Tua terra está inundada de sangue, E és pisoteada com sarcasmo e desprezo. Varsóvia! Cidade onde eu nasci,Continuar lendo “Varsóvia!”

José Sendacz, um justo

Muito do que somos devemos a José Sendacz, um pai na mais ampla concepção do termo. Enquanto esperamos o nascer do sol deste dia dedicado a todos eles no Brasil, pudemos reler suas considerações sobre Janusz Korczak. A matéria da revista e a conferência n’ A Hebraica trazem muito do que ele acreditava e procuravaContinuar lendo “José Sendacz, um justo”

1954: Viagem à Polônia

22 anos depois de chegar ao Brasil, José Aron Sendacz voltou à sua terra natal, como integrante da delegação oficial brasileira aos dez anos da instalação do governo nacional naquele país, outrora ocupado pelo invasor alemão. Se relatório de viagem foi publicado em Um Homem do Mundo. Aqui reproduzimos segmentado em capítulos e com ilustraçõesContinuar lendo “1954: Viagem à Polônia”