Segredo de Tostines

É preciso salvar vidas para salvar a economia ou é preciso salvar a economia para salvar vidas?

Embora a interdependência entre a vida humana e a economia seja evidente, a questão trazida por muitos brasileiros pode embutir dúvida quanto à primazia da vida em relação à produção e distribuição coletivas e à apropriação de excedentes pelos indivíduos

Na defesa da primazia da vida, o prefeito da maior cidade do país, que não por acaso é o epicentro da crise sanitária, temeu por uma Milão brasileira se o afrouxamento do isolamento social proposto pelo governo federal – sempre em contradição com as orientações do Ministro da Saúde, Dr. Mandetta – fosse levado adiante no Brasil.

Já tínhamos comentado nestes dias sobre as avaliações do insuspeito Banco Itau sobre o desenvolvimento econômico e as carreatas da morte. Falamos também do destino provável da injeção trilionária de liquidez no Sistema Financeiro Nacional. Até dicas para ficar bem em casa e a urgência do auxílio estatal aos que têm fome já ocuparam estas telas.

Resta saber porque há gente, a começar pelo círculo íntimo do Presidente da República, que acha que “umas trinta mil mortes” não justificariam a paralisia de parte da economia.

Miseráveis em geral não têm conta no banco nem cartão de crédito? A pessoa com deficiência não “pega no pesado”? Idosos em geral são aposentados e representam “despesas” para os cofres públicos? Como se uma vida pudesse valer mais que qualquer outra e como se cada um não pudesse contribuir com a construção coletiva.

O valor da vida é incalculável. Só quem é vivo produz, distribui e acumula riqueza e conhecimento. A economia só funciona como relação profunda entre os seres humanos – talvez entre outras espécies em algum ponto do espaço sideral, que ainda não tivemos o prazer de conhecer.

Mas, acima de tudo, só o ser humano ama o próximo como a si mesmo. Só o ser humano é capaz de se indignar contra qualquer injustiça contra qualquer ser humano em qualquer lugar do planeta.

Quem já assistiu o seriado estadunidense Lei e Ordem sabe: quem salva uma vida, salva a Humanidade. É hora de ficar em casa. É hora de o ser humano ser humano. Vamos juntos sair desta melhor do que entramos.

Revelando o segredo: “Falidos se recuperam, falecidos não”.

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central e do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: