Dia da Vitória

Crédito: CCOMSEx

Vimos reproduzindo nos últimos dias as narrativas do Te Contei de sombrios episódios que precederam o maior genocídio já perpetrado na História.

Já era 9 de Maio de 1945 no leste europeu quando a vitória aliada sobre o nazifascismo fez o mundo civilizado confiar no futuro novamente.

O esforço de guerra brasileiro para por termo aos terríveis acontecimentos que assolavam a humanidade é reverenciado pelo Exército pátrio, em homenagem aos combatentes da FEB e todos aqueles que “que enfrentaram o combate e, sobretudo, a todos os que perderam suas vidas em defesa da Democracia, da Justiça e da Liberdade“.

Transcorridos 77 anos da rendição incondicional das forças nazifascistas, que assinalou o término da Segunda Guerra Mundial, rendemos nossa homenagem aos homens e às mulheres das nações aliadas que, com coragem, sacrifício e devoção, combateram a opressão, a tirania e o totalitarismo das potências do Eixo.

O dia 8 de maio de 1945 guarda um profundo significado histórico, pois assinala o triunfo das forças democráticas sobre a opressão no mais abrangente e atroz conflito da humanidade.

Depois de romper sua neutralidade inicial, devido ao torpedeamento de navios mercantes brasileiros por submarinos alemães, o Brasil declarou guerra à Alemanha e à Itália no dia 31 de agosto de 1942. Nesse contexto, após ingente esforço de mobilização, foi criada a Força Expedicionária Brasileira (FEB), formada por cerca de 25 mil jovens combatentes oriundos de diversas regiões do País. O Brasil foi o único país da América Latina que participou diretamente dos conflitos na Europa, e nossa participação nesse teatro de operações tornou-se decisiva para a vitória aliada. A Marinha do Brasil responsabilizou-se pelo patrulhamento de nossas águas territoriais, pela escolta e proteção dos comboios e pela defesa de nossa costa. Nossa Força Aérea, além de ter conduzido o patrulhamento aéreo do litoral, destacou-se pelo desempenho da Esquadrilha de Ligação e Observação e do 1º Grupo de Aviação de Caça nos céus da Itália.

O 1º Escalão da FEB, chefiado pelo General Zenóbio da Costa, desembarcou na Itália em julho de 1944. Logo depois de um curto período de treinamento e aclimatação, entrou em ação, substituindo as forças norte-americanas nos postos avançados da Linha Gótica. As primeiras vitórias das armas brasileiras ocorreram em setembro de 1944 com a ocupação de Massarosa, a tomada de Camaiore e a queda de Monte Prano.

No início de 1945, nossos valorosos pracinhas venceram seu maior desafio operacional – Monte Castelo. Somente a conquista daquelas alturas permitiria às forças do IV Corpo de Exército abrir o prosseguimento em direção a Bolonha, objetivo do XV Grupo de Exércitos Aliados. Nesse contexto, em 21 de fevereiro, a FEB desencadeou o ataque às alturas do Castelo, tendo a 10ª Divisão de Montanha norte-americana a missão de conquistar Della Torracia no flanco da tropa brasileira. Travou-se renhido combate, mas os destemidos brasileiros avançaram, determinados a conquistar a posição inimiga. Assim, às 17h30min, nossos pracinhas alcançaram o objetivo do ataque.

No prosseguimento da chamada Ofensiva da Primavera, Montese, localidade-chave para o acesso ao vale do rio Panaro, foi conquistada, caracterizando o desmoronamento das defesas germânicas naquele setor. Após a vitória em Montese, a FEB iniciou o aproveitamento do êxito investindo sobre Zocca. A conquista dessa localidade deu início à perseguição no vale do rio Pó. As últimas batalhas ocorreram no fim de abril, em Collecchio e em Fornovo di Taro. Nessa derradeira ação, os efetivos da FEB, em inferioridade numérica, cercaram os remanescentes de quatro divisões inimigas e obtiveram a sua rendição, feito considerado único em todo o teatro de operações europeu durante a Segunda Guerra Mundial.

A bravura e a solidariedade sobejamente demonstradas pelos brasileiros na Campanha da Itália ensejam o perene sentimento de gratidão do povo italiano.

Soldados de Caxias! Neste aniversário do Dia da Vitória, reverenciamos a memória e prestamos justo tributo de respeito a todos aqueles que enfrentaram o combate e, sobretudo, a todos os que perderam suas vidas em defesa da Democracia, da Justiça e da Liberdade.

Que o grito da vitória que ecoou nas escarpas do norte da Itália  continue a inspirar-nos na defesa dos valores mais caros e altivos de nossa Pátria, e que a lembrança dos feitos dos pracinhas brasileiros permaneça inesquecível em nossos corações!

Salve a Força Expedicionária Brasileira!

Salve o Dia da Vitória!

Nossas edições comemorativas de 2020 e 2021: Vitória!; e Esse V que simboliza a Vitória.

Mais histórias da Segunda Guerra em A lista de Schindler; Noite dos Longos Punhais; Noite dos Cristais; Dias de Maio; e O Terror dos Pilotos Nazistas era uma Garota Judia.

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, conselheiro da CNTU e Aguaviva, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Foi presidente regional e diretor nacional do Sinal. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

2 comentários em “Dia da Vitória

  1. De fato foi um período bem interessante …. Pensar que tínhamos DITADORES x DITADORES.

    Inclusive o nosso DITADORzinho GETÚLIO VARGAS … que ficou, por anos, em dúvida sobre o lado a apoiar.

    O caso Olga foi o exemplo !!!

    Não é mesmo comandante ????

    C.M. !

    PAULO MARCOS

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: