Dias de Maio

A Polônia que viu nascer meus ancestrais também tem o seu feriadão: são os Dias de Maio!

1.5.2017

Início da primavera no hemisfério norte, a exemplo da maioria dos países do planeta também é feriado no primeiro dia do mês, quando se homenageia o trabalho.

Aos que, como eu, não dominam o idioma local, os dizeres são: “vamos restaurar o trabalho decente”.

Muito antes da greve de Chicago de 1886 que inspirou o Dia do Trabalho, em 1791 surgia aos olhos do mundo a primeira Constituição moderna, promulgada em um 3 de Maio pelo parlamento – a Sejm de Quatro Anos.

A Constituição de 3 de maio (pintura de Jan Matejko, 1891)

Entre os muitos avanços, estabelecia a unidade nacional sob os Guardiães das Leis – o Rei e cinco dos seus ministros -, a monarquia coletiva e a tolerância religiosa, ainda que fixado o catolicismo como religião oficial.

As reações dos países vizinhos, em especial da czarina russa, culminaram com vida breve da Carta Magna polonesa, dando início aos dois anos de vigência à segunda partição da Polônia, até a independência de 1918, alcançada também em um Três de Maio.

Cidade Livre de Danzigue, 1920-39

Quando da derrocada do invasor nazista em 1945, a maior parte do território polonês já havia sido libertada. Mas foi às vésperas da vitória aliada de Nove de Maio que o último – e também o mais antigo – dos campos de concentração teve atividade encerrada, contabilizando 65 mil poloneses católicos, judeus e ciganos mortos.

Campo de concentração de Stutthof, 1939-5.1925

Na sexta-feira já havíamos publicado obra de José Aron Sendacz alusiva ao Primeiro de Maio. Ele nasceu em Varsóvia logo após o início da República em 1918 e veio ao Brasil, com seus pais, em 1930.

Ao lado, capa da primeira constituição polonesa.

Com informações e imagens principalmente da Wikipédia.

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, conselheiro da CNTU e Aguaviva, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Foi presidente regional e diretor nacional do Sinal. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: