Mercado de Capitais – uma introdução

É próprio do capitalismo toda pessoa jurídica iniciar suas operações com bens materiais e dinheiro aportados por seus proprietários originais, que compõem o capital da firma.

O valor em moeda do capital, a “dívida” da empresa para com os seus donos, é usado para operações atinentes ao fim societário com vista à sua reprodução e multiplicação, de modo que a propriedade dos capitalistas seja crescente. Para que isso aconteça, é preciso adicionar trabalho ao capital, que depois será titular de parte da renda obtida – o excedente será transferido a outras pessoas jurídicas, como fornecedores e o Estado ou, no fim das contas, somar-se-á ao capital da pessoa, representando o lucro obtido em um período de operação.

É comum o capital empresarial ser subdividido em unidades – cotas ou ações – que se tornam propriedades geradoras de renda, na forma de direito a uma parcela do ganho líquido, e passíveis de livre comercialização elas próprias.

A compra e venda dessas pequenas partes de um empreendimento constituem o que chamamos de mercado de capitais. Quando a iniciativa parte da própria pessoa jurídica, constitui uma forma alternativa de financiamento dos novos negócios ou sua expansão, em relação aos empréstimos bancários.

Ao invés de dever juros, a firma comparte riscos com seus proprietários antigos e novos, dispondo de mais meios, além daqueles fruto de seu próprio desempenho, para produzir mais, para dar vazão a mais trabalho realizado – e o que não é consumido nem distribuído aos proprietários vira mais capital.

Estabelecemos aqui um conceito: o capital – a soma das disponibilidades financeiras e dos meios de produção – nada mais é do que o produto do trabalho não consumido, que pode ser apropriado pessoal, hereditária ou coletivamente.

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central e do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

4 comentários em “Mercado de Capitais – uma introdução

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: