Mil vidas eu tivesse…

Um dos inspiradores deste blogue sobre o Brasil é sem dúvida o Alferes Joaquim José da Silva Xavier, de profissão Tiradentes.

Neste 228º aniversário de sua saída da vida para a História o Brasil vive um novo e difícil enfrentamento, a um inimigo invisível a olho nu, mas altamente letal e que tem aliados de alta visibilidade em solo pátrio, descartando vidas ao desrespeitar o isolamento social necessário à contenção da chaga viral.

Há dias falamos da criação da cátedra Claudio Campos, dedicada ao estudo do pensamento nacional-desenvolvimentista de que Tiradentes foi um pioneiro. A vida do militar que organizou a resistência dos brasileiros à derrama dos quintos à coroa portuguesa é detalhadamente na obra de Lucas Figueiredo, que apreciamos ainda o ano passado.

Não por acaso o jornal fundado por Claudio Campos em 1979, na semana seguinte à Anistia, seja talvez o maior colecionador de artigos sobre o mais destacado dos inconfidentes.

Minhas sugestões de leitura começam, inclusive, com a apresentação de O Tiradentes, que ilustra mas não dispensa a leitura das quinhentas e densas páginas a quem quiser se apropriar das raízes da nacionalidade. O clássico de Cecília Meireles, Romanceiro da Inconfidência (1953), é também imperdível.

  1. “O Tiradentes”: uma obra do tamanho de seu personagem;
  2. Tiradentes, por Carlos Drummond de Andrade;
  3. Marini: Tiradentes ontem e hoje; e
  4. Tiradentes e as vitórias da Inconfidência Mineira.

Também da Hora do Povo transcrevemos a íntegra do poema de Uldurico Pinto, Deputado Constituinte e, por duas vezes, Deputado Federal.

Quando hoje afirmam certas autoridades que a vida pode mas a derrama não pode parar, o legado de Tiradentes é a nossa bandeira de luta. Se todos quisermos, vamos fazer deste imenso país uma grande Nação.

Reproduzido na Hora do Povo.

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central e do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Um comentário em “Mil vidas eu tivesse…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: