Primavera Humanitária Brasileira

Dr. Wagner bem arrazoa sobre os riscos que direitos conquistados sofrem, seja por regulamentação insuficiente dos preceitos constitucionais; a adoção de medidas compensatórias para que a soma seja igual ou próxima de zero; ou a mera revogação da norma concedente.
A mobilização não pode esmorecer.

Portal Factótum Cultural

porWagner Dias Ferreira

A globalização de fenômenos sociais importantes, cada vez mais, tem produzido avanços nas conquistas humanitárias e reações que também surpreendem.

Em 2010, a ideia de democracia nos países árabes, em sua grande maioria teocráticos, gerou movimentos em vários países levando à queda de ditadores históricos. Isso, naquela época, foi chamado de Primavera Árabe. É inegável que o uso de internet e aplicativos de celular que permitiam a constituição de redes sociais foi o grande responsável pela ampla e rápida difusão das ideias.

Lembrou as repercussões que as ideias iluministas produziram causando as Revolução Francesa e Independência das Colônias Norte Americanas em um período mais dilatado de tempo gerando inovações e mudanças em todo o planeta.

A Primavera Árabe ocasionou grandes mudanças no mundo Islâmico. E continuam ainda hoje. Como no caso da M. Amini, mulher Iraniana que foi presa e morta por causa do jeito que…

Ver o post original 378 mais palavras

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, conselheiro da Casa do Povo, EngD, CNTU e Aguaviva, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Foi presidente regional e diretor nacional do Sinal. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: