A espiral capitalista

Participando do curso O Capital, da Fundação Maurício Grabois, recuperamos muitos dos conceitos que detínhamos por vezes empiricamente ou de forma isolada, no que diz respeito ao desenvolvimento capitalista observado por Karl Marx já no século 18. Os 23 vídeos disponíveis tratam dos vários volumes da obra do economista alemão, conhecida na forma organizada por seu amigo Friedrich Engels.

Muitos professores modernos associam os circuitos pelos quais o capital se reproduz à forma circular. A contínua metamorfose da espécie entre as formas de mercadoria, dinheiro e produção nos parece, na verdade, espiralar.

De qualquer dos três pontos de partida, o capital transmuta-se para retornar à mesma forma mais adiante, só que maior do que na largada. Dessa forma, ousamos fazer a nossa própria figura ilustrativa da circulação do capital, que nos permitiu entender melhor o que seja a acumulação capitalista por meio da apropriação da mais valia.

Fica à consideração dos especialistas a crítica à nossa nota de aula, mas liberada a reprodução pelos que assim desejarem.

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central e do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: