Quatro afrontas de Bolsonaro e Guedes

José Luis Oreiro apresentou ao portal Disparada uma súmula das mais recentes propostas econômicas do governo federal. Parte delas já havia, de véspera, debatido com o banqueiro Gabriel Galípolo, no Além das Urnas.

O conjunto de medidas reforça a visão do economista sobre o caráter empobreirista-entreguista do governo federal, que não tem outro rumo senão o de conduzir o Brasil à barbárie.

São elas:

  1. Desindexação dos benefícios previdenciários, que significa a aplicação de um imposto inflacionário sobre as aposentadorias, reduzindo-lhe ano a ano o poder de compra; o mecanismo regressivo sobre os mais pobres foi temporariamente suspenso com o arquivamento do Renda Brasil.
  2. Inflação de alimentos, devida ao fim dos estoques reguladores da Conab, a entressafra e as vantagens cambiais e tributárias aplicáveis à exportação; o governo foi leniente em não garantir a segurança alimentar dos brasileiros durante a crise sanitária.
  3. Reforma administrativa, que visa reduzir salários públicos ao invés de elevá-los na esfera privada, extinguir serviços prestados à sociedade e por fim à estabilidade do servidor, transformando o Estado em refém de governantes de plantão. Algo como aumentar de 25 mil para 1 milhão os cargos de confiança.
  4. Teto de gastos limitando despesas obrigatórias, exceto financeiras, agora acompanhado de rompimento, para baixo, dos pisos constitucionais de gastos em Educação e Saúde.

Oreiro revelou ainda três conceitos do vernáculo ministerial, traduzindo o significado oculto de cada um:

  • desindexação para financiar o governo com a inflação;
  • desvinculação para permitir ao governo fugir de suas obrigações com os direitos sociais constitucionais e desmontar fundos públicos; e
  • desobrigação com os pisos de investimentos e gastos obrigatórios

José Luis Oreiro é catedrático em Economia na UNB, desenvolvimentista e titular da página Economia, Opinião e Atualidades.

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central e do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, conselheiro da CNTU, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Um comentário em “Quatro afrontas de Bolsonaro e Guedes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: