Os prédios tortos de Santos

Quem pela primeira vez caminha pela Orla de Santos, especialmente nas quadras próximas ao Canal 4, pode estranhar o prumo de muitos dos antigos edifícios construídos em frente à praia. Não foi essa a intenção original do construtor.

Nas redes sociais, o Engenheiro Luiz Antonio Bandini explica o que houve:

O solo da região da orla em Santos é formado por uma camada espessa de argila marinha que pode ser compreensível, ficando estável caso não seja pertubado, as construções na região podem causar esta pertubação, provocando o recalque da construções lindeiras, sua desestabilização pode levar à ruína, alguns casos houve a execução do congelamento das águas da região da fundação e fazendo a nova estabilização com variadas técnicas.

Tem solução? A firma Maffei Engenharia mostra em vídeo obra sua de reaprumo:

Fruto do aprimoramento da engenharia civil, os edifícios mais novos da região apresentam o conforto da estabilidade e relativa segurança contra o efeito “Torre de Pisa”.

Os que susbsistem, habitados, merecem um incentivo da municipalidade para a correção hoje permitida pela moderna técnica.

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, conselheiro da Casa do Povo, EngD, CNTU e Aguaviva, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Foi presidente regional e diretor nacional do Sinal. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: