Luis Fernando Veríssimo

Luis Fernando Veríssimo é conhecido por sempre andar de mãos dadas com a mulher, do contrário “ela vai às compras”… O Cultura Genial traz, além de breve biografia, 8 histórias comentadas do escritor gaúcho.

Ele iniciou sua carreira como escritor no final dos anos 60 no jornal “Zero Hora”, de Porto Alegre. Foi quando começou a escrever crônicas curtas, que com o tempo passaram a chamar atenção pelo tom bem-humorado e marcado pela ironia.

Filho do importante romancista Érico Veríssimo, Luis Fernando se tornou um dos mais conhecidos escritores brasileiros, atuando ainda como cartunista e saxofonista.

Trabalhou ainda para vários jornais e revistas, como a “Veja” e o “O Estadão” e tem também algumas obras ficcionais.

A metamorfose

Uma barata acordou um dia e viu que tinha se transformado num ser humano. Começou a mexer suas patas e viu que só tinha quatro, que eram grandes e pesadas e de articulação difícil. Não tinha mais antenas. Quis emitir um som de surpresa e sem querer deu um grunhido. As outras baratas fugiram aterrorizadas para trás do móvel. Ela quis segui-las, mas não coube atrás do móvel. O seu segundo pensamento foi: “Que horror… Preciso acabar com essas baratas…”

Pensar, para a ex-barata, era uma novidade. Antigamente ela seguia seu instinto. Agora precisava raciocinar. Fez uma espécie de manto com a cortina da sala para cobrir sua nudez. Saiu pela casa e encontrou um armário num quarto, e nele, roupa de baixo e um vestido. Olhou-se no espelho e achou-se bonita. Para uma ex-barata. Maquiou-se. Todas as baratas são iguais, mas as mulheres precisam realçar sua personalidade. Adotou um nome: Vandirene. Mais tarde descobriu que só um nome não bastava. A que classe pertencia?… Tinha educação?…. Referências?… Conseguiu a muito custo um emprego como faxineira. Sua experiência de barata lhe dava acesso a sujeiras mal suspeitadas. Era uma boa faxineira. (continua, com comentário)

Além de A metamorfose, Cultura Genial apresenta e comenta as seguintes obras de Veríssimo Incidente na casa do ferreiro; Cuia; O homem trocado; Dois mais dois; A foto; Aviãozinho; e Outro de elevador.

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, conselheiro da CNTU e Aguaviva, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Foi presidente regional e diretor nacional do Sinal. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: