Viva o Treze de Maio!

Alfredo de Oliveira

Presidente do Congresso Nacional Afro-brasileiro

Quando há um ano resgatávamos a poesia de José Aron Sendacz que registrou o 50º aniversário do 13 de Maio, não imaginávamos tamanha tragédia se abatendo sobre brasileiros “de todas as cores”.

Vitória de Zumbi, Luiz Gama e do povo brasileiro. Fora o racismo de Bolsonaro!

Vamos comemorar juntos mais um histórico 13 de Maio. Esta data é nossa, ninguém tira.

Nossos antepassados foram tirados da África, transportados nos horrendos navios negreiros e trazidos para o Brasil, onde foram escravizados.

E apesar da enorme tentativa dos escravistas de arrancar qualquer vestígio de humanidade existente dentro de cada escravo, os negros jamais aceitaram tal situação passivamente.

Inúmeras revoltas e movimentos foram organizados e podemos citar algumas entre as mais famosas: a “Revolta dos Malês”, na Bahia, a “Greve dos Alfaiates”, que durante 2 anos não costurou uma roupa sequer para a Coroa Portuguesa e a seus representantes no Brasil, os inumeráveis quilombos espalhados por este Brasil e que até hoje encontramos seus descendentes, como o “Quilombo de Palmares”.

O sonho de Zumbi se realizou quase duzentos anos depois, com a abolição da escravatura. Na epopéia abolicionista surgiram novos Zumbis dos Palmares, a exemplo do poeta, jornalista e advogado autodidata, Luiz Gama.

A campanha pela abolição foi um amplo e poderoso movimento que uniu diversos setores da sociedade brasileira.

A princesa Isabel assinou a lei, mas a libertação dos escravos foi feita nas ruas, praças, teatros, engenhos, senzalas e até nas casas grandes.

Continuar o 13 de Maio é se erguer hoje na defesa firme da democracia, é brigar pelo desenvolvimento do Brasil.

É lutar em defesa dos direitos dos trabalhadores, contra o desemprego, contra a entrega do nosso petróleo.

Sob o governo Bolsonaro têm ocorrido as maiores atrocidades contra os negros.  A pandemia da Covid-19 já levou quase 430 mil vidas, entre elas muitas negras, pelo descaso desse governo com a proteção do povo e pelo desprezo em comprar vacinas e disseminá-las.

Aconteceram os bárbaros assassinatos de João Alberto, no Carrefour de Porto Alegre, e dos tio e sobrinho no Atakarejo de Salvador, simplesmente por roubarem carne para comer. 

Sem falar que a fome e o desemprego de mais de quatorze milhões de trabalhadores atormentam a população negra.

CHEGA DE BOLSONARO! VIVA O 13 DE MAIO!

E viva o Professor Eduardo de Oliveira, primeiro vereador negro da Cidade de São Paulo, fundador do CNAB e autor do Hino à Negritude!

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, conselheiro da CNTU, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: