Fachin desconstrói condenações de Lula e suspeição de Moro para salvar trabalho da Lava Jato

Carlos Lopes, na Hora do Povo

É compreensível que uma decisão como a do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), na segunda-feira (08/03) à tarde, cause uma certa comoção.

Entretanto, o mais significativo – e aparentemente, mas só aparentemente, esdrúxulo – é a raiva dos que encararam a decisão de Fachin como um modo de evitar que Sérgio Moro, o então juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, fosse julgado “suspeito”, no julgamento que se armava (o termo não é despropositado) para as próximas semanas.

A expressão mais clara, mais nítida, das intenções – e da frustração – dessa camada política, foi a declaração do presidente da Câmara dos Deputados, aliado de Bolsonaro, o deputado Arthur Lira (PP-AL):

Minha maior dúvida é se a decisão monocrática [de Fachin] foi para absolver Lula ou Moro. Lula pode até merecer. Moro, jamais!

Com isso, colocou para fora o que várias personalidades – inclusive o próprio ministro Fachin e o também ministro do STF Luís Roberto Barroso – declararam nas últimas semanas: formou-se, no Brasil, uma aliança para asfixiar o combate à corrupção.

A questão mais importante é que a tentativa de destruir o trabalho realizado pela Operação Lava Jato, através da “suspeição” de Moro, significaria não apenas remeter o processo do triplex do Guarujá para a estaca zero, mas, no limite, todos os processos, incluídos todos os de Eduardo Cunha – do qual Arthur Lira foi apoiador até o último instante -, Geddel, Cabral e outras centenas de ladrões da propriedade do povo. (+958 palavras, Hora do Povo)

Leia também sobre outras tentativas de abafar crimes de corrupção em Não roubar, não deixar roubar, por na cadeia quem roube e Operação “Abafa-a-jato”.

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, conselheiro da CNTU e Aguaviva, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Foi presidente regional e diretor nacional do Sinal. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Um comentário em “Fachin desconstrói condenações de Lula e suspeição de Moro para salvar trabalho da Lava Jato

  1. Bom dia!
    Diante da falencia de todas ou quase todas instituicoes por politicagem de interesses de grupos e particulares , resta o STF como a unica para atuar , proteger interesses do povo . Nao creio que os esforcos dos Ministros sobre o caso seria de pouco estudo, analise e em vao.
    Homens experientes , idosos, sem interesse de ficar brincando com a busca da verdade , estao mostrando um trabalho bem apurado.
    Ainda muito pela frente.
    Vamos entrar num ano politico propriamente dito (eleicao) e a busca da verdade real se faz necessaria.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: