O navio singra

Em Primeiro de Maio de 1886 os operários de Chicago se levantaram contra a jornada de até 17 horas por dia.

Em 1938, o jovem José Aron Sendacz* escrevia sobre a emancipação da classe operária dos grilhões que ainda a prendiam a um passado de superexploração.

E, em pleno século 21, as relações de trabalho tem regredido a maus tratos que julgávamos extintos.

Solidariedade internacional dos operários alfaiates do Bom Retiro, em São Paulo, 1944

Não foi o fascismo de outrora que inibiu os trabalhadores de conquistarem a sua emancipação na sociedade humana. Não será o fascismo de hoje que o fará.

Viva o Primeiro de Maio!

*Publicamos a versão em português de Hugueta Sendacz do original Shvimt a Shif, em idioma idishe, que pode ser conferida em Um Homem do Mundo.

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central e do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Um comentário em “O navio singra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: