Elevação dos juros com a economia em recessão é burrice

Nilson Araújo

A Hora do Povo consultou o economista Nilson Araújo de Souza para trazer aos leitores suas lições sobre a inflação atual do Brasil e a subida dos juros pelo Banco Central.

Segundo o professor, “basta anunciar que a tendência dos juros básicos é de alta que começa a apontar para um impacto negativo na atividade econômica”.

Foi além: “A equipe do BC está na contramão do que ocorre no mundo.”

HORA DO POVO: A elevação da inflação tem relação com alta da demanda?

Não, a pressão inflacionária que vem desde meados do ano passado não tem nada a ver com pressão da demanda. Com uma economia deprimida como a nossa, há já bastante tempo, mas agravada do ano passado para cá, com a emergência da Covid-19, a demanda não tem como pressionar os preços para cima. Com a forte capacidade ociosa, se houvesse crescimento da demanda, o mais provável é que estimularia o aumento da produção, e não dos preços. (+384 palavras, Hora do Povo)

HORA DO POVO: Como você avalia a alta da taxa de juros decidida pelo BC com o país em recessão?

Quanto à decisão do Copom do Banco Central de elevar a taxa básica de juros, a Selic, eu já havia cantado a bola em entrevista à HP em dezembro do ano passado. Aumentou agora a Selic de 2% para 2,75% ao ano e, segundo as vozes de mau agouro dos representantes do mercado financeiro, vai chegar a 4% ao final deste ano e a 6% no ano que vem. A equipe do BC está na contramão do que ocorre no mundo e inclusive do arremedo de teoria que costuma usar. Usa a versão mais burra desse arremedo de teoria. (+656 palavras, Hora do Povo)

Nilson Araújo concluiu a explanação assim:

O ultraneoliberalismo da turma de Guedes é pura burrice. Mas há uma explicação: encher de dinheiro as burras dos rentistas do sistema financeiro, os quais vinham aceitando juros básicos (Selic) mais baixos por duas razões:

  1. O que mais lhes interessa, sobretudo aos de fora, é o “juro longo”, ou seja, as operações de longo prazo, e esse “juro longo” tem estado alto, devido à “fuga de capitais”, desconfiados das loucuras de Bolsonaro, conforme sustenta o economista José Luís Oreiro;
  2. Porque receberam no ano passado cerca de R$ 1,3 trilhão do governo.

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central e do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, conselheiro da CNTU, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: