O grande despautério

A sede do Ministério das Relações Exteriores, em Brasília

Não bastasse denegrir o bom nome do Brasil mundo afora, o senhor Ernesto Araújo serviu-se do palanque de formatura do Instituto Rio Branco para desferir ataques em solo pátrio à diplomacia brasileira, internacionalmente reconhecida pela sua excelência no cumprimento da missão constitucional de paz e integração do povos.

Além de ofender o patrono da turma, o chanceler teve sua oração classificada como “escatológica” por Carlos Lopes, diretor da Hora do Povo. Quem comenta é o veterano Embaixador Adhemar Bahadian, também ele um escultor do idioma nacional, em memória de San Thiago Dantas.

Empina-se no palco o Chanceler. E as palavras dele são como pedras mal-educadas, rudes e tingidas de ódio a um delirante passado da bela instituição em que ingressa sua neta. A diplomacia brasileira a partir dos anos 50 e 60 (anos da ditadura?) é chicoteada como em navio negreiro. Nossos diplomatas vivos e mortos são pintados de um vermelho de sangue, de traidores da Pátria, de interessados em implantar no Brasil uma ditadura do proletariado. E a associação entre Elite argentária e esquerdas totalitárias teria mergulhado o país na corrupção e no descalabro.

E o patrono, João Cabral de Melo Neto, diplomata escolhido pelos formandos para homenagear o centenário do nascimento do poeta e escultor da língua materna, é reduzido a pérfido comunista. Sem nenhum respeito a supostos fatos ocorridos quando o Chanceler fazia nas fraldas o que hoje esfrega diante de famílias reunidas para um dia de júbilo com seus filhos e netos. Um outro poeta, a ele diria: “vai ser gauche na vida”.

Leia a íntegra da diplomática peça de Bahadian e a apresentação de Lopes em Baixeza e sordidez do bolsonarismo no Itamaraty.

Adhemar Bahadian é diplomata aposentado e autor, entre outros, de A Tentativa do Controle do Poder Econômico nas Nações Unidas

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central e do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: