Região Metropolitana da Baixada Santista (2ª parte)

A consultoria Macroplan realizou um mapeamento das cem maiores cidades brasileiras intitulado Desafios da Gestão Municipal, cujos resultados regionais estão destacados na imagem ao lado. O estudo contemplou 15 indicadores agrupados nos temas Educação; Saúde; Segurança; e Saneamento e Sustentabilidade. A fonte principal de dados foi o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os municípios não contemplados no estudo (com até 190 mil habitantes) foram objeto, por este autor, de interpolação das notas avaliativas, a partir do panorama municipal do mesmo IBGE. Os índices apurados para Bertioga, Cubatão, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe não têm validade científica, mas permitem conhecer a posição relativa de cada um na Baixada Santista e a média da região:

Fonte: IBGE

Pelo menos dois outros fatores sociais são de importância para o julgamento da qualidade de vida nas cidades: a moradia e a ocupação laboral, sem prejuízo da avaliação das contas públicas, que ficam para um próximo momento.

Se considerarmos que todas as moradias devem ser adequadas e que o salário mínimo proposto pelo Dieese, estimado em R$ 4,3 mil como retribuição do trabalho suficiente para um mês estimado, verificamos que o desafio é maior em Bertioga, Itanhaém e Praia Grande, permanecendo semelhante no Guarujá, em Santos e São Vicente, tornando-se mais ameno nos demais municípios.

Note-se que os quatro temas propostos originalmente mais as duas novas medidas têm cada uma a sua nota e exigências de melhora. O desafio municipal não se resume a alcançar um vizinho ou a média estadual, mas progredir sempre, em todas as áreas sociais de atuação, em busca do objetivo maior da Administração pública: o bem-estar sustentável da população.

Como afirmamos na primeira parte desta que pretendemos ser uma série de análise e proposição ao desenvolvimento metropolitano, se todos quisermos, a metrópole merece e pode ser um ótimo lugar para viver.

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central e do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Um comentário em “Região Metropolitana da Baixada Santista (2ª parte)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: