A LUTA UTILITARISTA: ENFOQUE ASSISTENCIAL X POLÍTICO

Eng. César Cantu, no Contraditório em Pauta

A reflexão que Cantu aqui nos traz indica que, a par de manter a vida, é preciso construir um modelo em que não mais seja necessário o assistencialismo. Modelo possível, em vista da consciência da realidade, da ciência conhecida e da tecnologia dominada.

A luta utilitarista pelo alimento, saúde, moradia e outros itens indispensáveis para a conservação da vida é, sem dúvida, indispensável sob o enfoque assistencialista. Por isso, tem sido a nossa bandeira de luta tradicional e causa maior do crescimento dos movimentos populares nas últimas 3 décadas. Essa luta deve continuar porque atende a uma necessidade fundamental para a sobrevivência humana.

Porém, sob o enfoque político, irá acrescentar pouco à luta de classe no futuro, e explico:

Tornou-se uma bandeira da elite e seus capatazes da direita que estão investindo muito na grande mídia e mídias sociais, num processo sórdido e sofisticado. Sob o guarda-chuva de entidades assistencialistas matrizes (ActionAids, Abrinq, ACM e outras) estão arrecadando fortunas que são distribuídas a outras entidades, muitas delas, de esquerda, que atendem, diretamente, a população necessitada. Com isso, cooptam as lideranças assistencialistas, muitas vezes, sem que elas se apercebam, e que se incumbirão de manter a massa assistida nos limites do assistencialismo.

Essa luta utilitarista amortece, às vezes, elimina a verdadeira luta de classe já que incita as pessoas a se envolverem com o imediato prioritário, a defesa da vida, e não com as mudanças estruturais.

Nesse sentido, se os movimentos sociais de esquerda não avançarem no seu modelo de luta, acabarão por ser totalmente confundidos com os movimentos de direita. “O amarelo do ouro e o vermelho do sangue passarão a ser parte de uma mesma matiz”.

Acima, reprodução do capítulo 26 do Contraditório em Pauta, do Eng. César Cantu.

Dele, com o Eng. Velfrides Barreto, leia também Engenharia e Política.

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, conselheiro da Casa do Povo, CNTU e Aguaviva, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Foi presidente regional e diretor nacional do Sinal. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: