Mortes por asfixia em Manaus têm responsável, Bolsonaro, e cúmplice, White Martins

MIGUEL MANSO

No pior dia da pandemia, falta de oxigênio mata pacientes de Covid em Manaus. Bolsonaro premia o cartel do oxigênio entregando a empresa de distribuição de gases da Petrobras

Foto: Mario Tama – AFP

Todos assistimos estarrecidos, consternados e principalmente indignados, a morte de centenas de brasileiros em Manaus nos últimos dias por falta de Oxigênio nos hospitais superlotados pelo recrudescimento da pandemia no Brasil que o presidente da República insiste em minimizar.

As imagens trágicas de homens e mulheres recebendo massagens cardíacas nos corredores e no chão dos hospitais, parentes das vítimas chorando desesperadas e fazendo apelos para que enviassem Oxigênio a Manaus e a absurda visita do Ministro da Saúde – General Pazzuello, pressionando pelo uso da Cloroquina, criticando governador, prefeitos e médicos por não usar as “medicações precoces” e a incapacidade de mobilizar os recursos para o envio emergencial de Oxigênio para Manaus chocaram os brasileiros e todos no planeta.

Governadores, artistas, personalidades, médicos se apresentaram e se mobilizaram para a emergência enquanto Bolsonaro e Pazzuello mais uma vez desinformavam, mentiam, sabotavam as medidas emergenciais e tumultuavam a chocante crise de Manaus, com centenas de mortes por asfixia por falta de Oxigênio.

Nas dificuldades alegadas para a incapacidade de suprir de Oxigênio as vítimas da pandemia muitos se perguntavam como podia faltar Oxigênio para a capital amazônica. Não se trata de equipamentos ou remédios, apenas de Oxigênio. Oxigênio limpo e puro sim, mas simplesmente Oxigênio, algo que a humanidade sabe produzir há séculos e que o Brasil tem vasta produção, embora totalmente monopolizada nas mãos de um criminoso cartel.

As mortes e o desespero entristeceram corações e mentes no dia mais terrÍvel da pandemia e nas manchetes dos noticiários, brotou a solidariedade em todos os cantos do planeta, a insensibilidade e hostilidade do presidente e seu governo mais uma vez chocou os brasileiros que, de imediato, foram, em todo o Brasil, protestar nas ruas e sacadas contra a violência e o brutal descaso. (+1381 palavras, Hora do Povo)

O artigo ainda destaca, de poucas semanas antes desta terrível tragédia em Manaus:

Enquanto a pandemia mata e Bolsonaro asfixia o Brasil, a “boiada passa” e o cartel WM se locupleta

Petrobras fecha com White Martins venda de fatia de 40% na GásLocal

Miguel Manso é Engenheiro Eletrônico pela EESC-USP e foi candidato a prefeito de São Paulo. Assim ele concluiu:

Não há crime sem culpado e sem motivo, assim como não deve haver crime sem castigo!

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, conselheiro da CNTU e Aguaviva, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Foi presidente regional e diretor nacional do Sinal. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: