Mortes por asfixia em Manaus têm responsável, Bolsonaro, e cúmplice, White Martins

MIGUEL MANSO

No pior dia da pandemia, falta de oxigênio mata pacientes de Covid em Manaus. Bolsonaro premia o cartel do oxigênio entregando a empresa de distribuição de gases da Petrobras

Foto: Mario Tama – AFP

Todos assistimos estarrecidos, consternados e principalmente indignados, a morte de centenas de brasileiros em Manaus nos últimos dias por falta de Oxigênio nos hospitais superlotados pelo recrudescimento da pandemia no Brasil que o presidente da República insiste em minimizar.

As imagens trágicas de homens e mulheres recebendo massagens cardíacas nos corredores e no chão dos hospitais, parentes das vítimas chorando desesperadas e fazendo apelos para que enviassem Oxigênio a Manaus e a absurda visita do Ministro da Saúde – General Pazzuello, pressionando pelo uso da Cloroquina, criticando governador, prefeitos e médicos por não usar as “medicações precoces” e a incapacidade de mobilizar os recursos para o envio emergencial de Oxigênio para Manaus chocaram os brasileiros e todos no planeta.

Governadores, artistas, personalidades, médicos se apresentaram e se mobilizaram para a emergência enquanto Bolsonaro e Pazzuello mais uma vez desinformavam, mentiam, sabotavam as medidas emergenciais e tumultuavam a chocante crise de Manaus, com centenas de mortes por asfixia por falta de Oxigênio.

Nas dificuldades alegadas para a incapacidade de suprir de Oxigênio as vítimas da pandemia muitos se perguntavam como podia faltar Oxigênio para a capital amazônica. Não se trata de equipamentos ou remédios, apenas de Oxigênio. Oxigênio limpo e puro sim, mas simplesmente Oxigênio, algo que a humanidade sabe produzir há séculos e que o Brasil tem vasta produção, embora totalmente monopolizada nas mãos de um criminoso cartel.

As mortes e o desespero entristeceram corações e mentes no dia mais terrÍvel da pandemia e nas manchetes dos noticiários, brotou a solidariedade em todos os cantos do planeta, a insensibilidade e hostilidade do presidente e seu governo mais uma vez chocou os brasileiros que, de imediato, foram, em todo o Brasil, protestar nas ruas e sacadas contra a violência e o brutal descaso. (+1381 palavras, Hora do Povo)

O artigo ainda destaca, de poucas semanas antes desta terrível tragédia em Manaus:

Enquanto a pandemia mata e Bolsonaro asfixia o Brasil, a “boiada passa” e o cartel WM se locupleta

Petrobras fecha com White Martins venda de fatia de 40% na GásLocal

Miguel Manso é Engenheiro Eletrônico pela EESC-USP e foi candidato a prefeito de São Paulo. Assim ele concluiu:

Não há crime sem culpado e sem motivo, assim como não deve haver crime sem castigo!

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central e do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: