Desafio da Retomada do Crescimento da Renda e do Emprego

O chamado de Fernando Nogueira da Costa faz lembrar Geraldo Vandré: a certeza na frente, a história na mão. Os resultados espetaculares que o Brasil já alcançou só reforçam a recomendação que faz o economista e professor da Unicamp pela flexibilização e mesmo a superação do famoso tripé neoliberal dos últimos quarenta anos, que levou o Brasil à condição de fornecedor de lucro fácil para o capital financeiro.
Quando a desocupação marca o recorde de 14,4%, a flutuação do câmbio favorece a entrada e saída de capital meramente especulativo e o PIB de 2020 promete fazer muitas vítimas ao “assassino econômico”, é sempre oportuno o resgate da lembrança de que a “renda per capita do brasileiro dobrou entre 1900 e 1940, e quintuplicou entre 1940 e 1980”.
E depois?

Blog Cidadania & Cultura

Serviços fev-ago 2020

Carlos Luque é professor da FEA- USP e presidente da Fipe. Simão Silber é professor da FEA-USP. Francisco Vidal Luna é professor da FEA aposentado. Roberto Zagha foi professor assistente na FEA-USP nos anos 1970 e no Banco Mundial a partir de 1980, onde encerrou a carreira em 2012 como Secretário da Comissão sobre o Crescimento e o Desenvolvimento, e diretor para a Índia. Como habitual, publicaram um artigo desenvolvimentista (Valor, 14/10/2020). Foge à regra neoliberal do jornal.

“O Brasil custou a crescer. Da chegada dos portugueses até o começo do século 20 a renda per capita do brasileiro estagnou. Explorava-se pau-brasil, plantava-se açúcar ou café, descobria-se ouro ou diamantes, traziam-se milhões de escravos, acabava- se com a escravidão, abria-se o país à imigração e a renda per capita mal se mexia.

Entre o final do século XIX e início do século XX, chegou a noção de ordem, progresso e…

Ver o post original 902 mais palavras

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, conselheiro da CNTU e Aguaviva, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Foi presidente regional e diretor nacional do Sinal. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: