Santos inclusiva, solidária, saudável e segura

Reduzir desigualdades integrando todos os santistas

Do programa do Movimento 65

Todo santista é antes de tudo um cidadão. Não cabe descanso nem conforto à Administração municipal enquanto todos e cada um não tiverem condições dignas de vida pessoal e integrada à sua família e à comunidade. Ademais, são intoleráveis a violência doméstica, a exploração sexual e o trabalho infantil, entre outras práticas predatórias da dignidade humana.

Para isso, a par de educar e assegurar trabalho e construir moradias e equipamentos públicos de uso social, é também preciso adotar medidas emergenciais para que a ninguém falte um teto para dormir, refeições diárias e assistência pública na reconstrução de uma vida saudável, produtiva e segura, sem dependência de benemerência privada.

A principal identidade do santista, do paulista, do brasileiro, do ser humano, enfim, é cultural. Os cidadãos cooperam entre si porque têm algo em comum, objetivos comuns, uma vida solidária. Assim, andam juntas a cultura, o esporte, o lazer e a inclusão social.

A diversificada produção cultural erudita e popular santista pública e privada merece destaque no orçamento e no cuidado municipais. Não só é preciso possibilitar a manifestação cultural em todas as suas formas, como também levá-las o ano todo a toda a cidade, possibilitando o acesso a ela a toda a população e aos turistas que visitam Santos.

O mesmo acontece com os necessários esporte e lazer: na orla, nas praças e na área continental faz-se imprescindível a participação do Poder municipal para que cada santista não só cuide da sua saúde física e mental como também interaja com a sua comunidade e visitantes de outros bairros e cidades.

Um calendário anual e redes públicas de cultura, de esporte e de lazer integrado com quem faz e com o potencial turístico dessas atividades organizam as Redes e espaços públicos e privados apropriados para esses fins.

O incentivo à criação e revigoramento de cooperativas culturais e clubes esportivos pode fomentar a criação de vagas esportivas gratuitas e apresentações culturais públicas, na praia, nas praças, nos equipamentos públicos e inclusive nas escolas, na formação dos jovens e aberta à comunidade nos fins de semana. Tudo com segurança pública e acessibilidade.

Sendo a vida o bem mais precioso, o esforço público central precisa ser em prevenir-lhe a doença e o óbito prematuro. A atenção à saúde precisa ser universal aos moradores, trabalhadores e visitantes da cidade, cuidando de cada um onde estiver, com atenção básica, especializada e de alta complexidade para toda a população.

Cuidados especiais devem ser tomados na prevenção e tratamento de doenças ocupacionais, populações vulneráveis e diante de surtos e epidemias que maltratem os santistas. Medidas educativas desde a infância até a mais provecta idade também podem ajudar a manter as pessoas com saúde.

É objetivo de cada santista é se sentir seguro, não só quanto ao bem estar pessoal presente e futuro, como também em relação às pessoas que o cercam. É claro que o constante avançar do desenvolvimento humano dá mais tranquilidade a cada um, mas até que o melhor da humanidade esteja disponível a todos é preciso atitude pública repressiva às práticas antissociais deste ou daquele elemento.

O Coliseu

É preciso que as forças policiais e demais equipes de segurança pública e privada, pela ordem, previnam, dissuadam e reprimam as ações vedadas em lei. Assegurem a boa convivência de todos os santistas no seu lar e nos espaços públicos, quando sozinhos ou em atividade coletiva. A identificação inteligente das situações de risco e a abordagem firme, mas respeitosa, de indivíduos suspeitos precisam estar combinadas com formação e remuneração constantemente adequadas às funções exercidas. As forças policiais municipal, estadual e federal precisam agir de forma integrada pelo bem de todos e o setor privado de segurança, além de obedecer às normas públicas, precisa contribuir com o Estado, inclusive pecuniariamente, para a formação do Fundo santista de Segurança Pública.

Pauê treinando em Santos

Seremos Uma só Santos quando todos e cada um tivermos igual oportunidade de desenhar o futuro da cidade!

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central e do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, conselheiro da CNTU, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Um comentário em “Santos inclusiva, solidária, saudável e segura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: