Morre aos 95 anos o poeta Thiago de Mello

A obra de Thiago de Mello é imperecível. Vale a pena ler de novo Madrugada Camponesa (“faz escuro mas eu canto”) e os Estatutos do Homem.
Sobre sua vida e obra, veja também o registro de Ana Lucia, na Hora do Povo e a homenagem de Gisele Caresia ao último aniversário do “poeta das águas claras”.

Blog do Renato

Autor de poemas célebres como Os Estatutos do Homem e Madrugada Camponesa, ele foi traduzido para mais de 30 idiomas

por André Cintra

O poeta e jornalista amazonense Thiago de Mello, autor de poemas célebres como Os Estatutos do Homem e Madrugada Camponesa, morreu na madrugada desta sexta-feira (14), aos 95 anos, em sua casa na cidade de Manaus (AM). A causa da morte ainda é desconhecida.

“Partiu o poeta Thiago de Mello”, tuitou, em primeira mão, o escritor Sérgio Freire, às 8h47. O velório será realizado no Palácio Rio Negro, no Centro Histórico de Manaus – o governo do Amazonas decretou luto oficial de três dias.

Natural de Barreirinha (AM), onde nasceu em 1926, o poeta se mudou para Manaus ainda na infância. Chegou a cursar a Faculdade Nacional de Medicina, no Rio de Janeiro, mas largou o curso para se dedicar à carreira literária.

A estreia na poesia…

Ver o post original 462 mais palavras

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, conselheiro da Casa do Povo, EngD, CNTU e Aguaviva, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Foi presidente regional e diretor nacional do Sinal. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: