O futuro da indústria no Brasil

Sergio Fausto e a Fundação FHC trouxeram o economista José Roberto Mendonça de Barros e o engenheiro João Fernando Gomes de Oliveira para expor seus estudos sobre o futuro da indústria no Brasil.

Com base em dois casos reais, os estudiosos procuram mostrar que há no Brasil um setor industrial que se desenvolve à margem de benesses oficiais, mesmo reconhecendo que, de um modo geral, a indústria está se enfraquecendo no país.

Segundo eles, é comum às “empresas industriais de sucesso” o esforço consistente na busca da produtividade (relação entre o valor da venda e o que se gasta na sua produção), com base no progresso tecnológico; a ligação internacional das empresas nas pontas de exportação e captação de financiamento e tecnologia; e boa estrutura de capital.

Avançam setores que agregam valor à produção primária agrária e mineral e de energia limpa; sempre contando com a pesquisa tecnológica no Brasil, cujas 70 unidades investem R$ 1,7 bilhão em projeto e já produziram mais de 600 patentes industriais.

Dois engenheiros brasileiros ilustraram o debate com a apresentação das empresas que conduzem.

Vitor Araújo Santos é cofundador e diretor de tecnologia da Aeris Energy.

Instalada no Ceará, em meio aos parques eólicos da região Nordeste, a Aeris fornece as pás aos equipamentos de montadoras de torres de energia que detêm 90% do mercado global – fora a China. Delas, só uma, a WEG, é 100% nacional. Vitor contou como, em dez anos, aprenderam a fazer a pá e se integraram à cadeia internacional de produção, captando um bilhão no mercado de capitais para ampliar o seu parque fabril e investir em novos processos de geração de energia limpa e de controle da própria produção.

Fernando Fernandes é diretor executivo da centenária Companhia Lilla de Máquinas Indústria e Comércio.

O antigo torrefador de café de Ourinhos, no interior de São Paulo, começou por fazer suas próprias peças de manutenção, dada a dificuldade de importação observada na segunda guerra mundial. Depois, passou a prover seus concorrentes, seus sucessores criaram novas patentes em parceria com a Escola Politécnica da USP e hoje a Lilla fornece praticamente toda a planta de torrefação de grãos ao Brasil e a países nos cinco continentes.

Comentaram os casos a economista e advogada Elena Landau, que espera de uma política industrial a multiplicação dos empregos, o aumento da renda média e da produtividade e a formação de um capital social no Brasil, e o engenheiro Wilson Bricio, da Associação de Engenheiros Brasil-Alemanha.

Os casos apresentados não são únicos, garante o professor da USP Mendonça de Barros; abarcam, ao menos, a terceira parte da indústria nacional remanescente no Brasil

Mas certamente se o apoio estatal à ciência, engenharia e indústria nacionais fosse maior – lembrar que, no essencial, o ensino superior e a pesquisa são públicos – projetos como o motor a ar comprimido, desenvolvido no Espírito Santo, talvez não fosse industrializados no exterior, mas por aqui, tornando o Brasil autossuficiente ante a importações instáveis e provedor do mundo com o fruto da inteligência nacional.

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, conselheiro da Casa do Povo, CNTU e Aguaviva, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Foi presidente regional e diretor nacional do Sinal. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

2 comentários em “O futuro da indústria no Brasil

  1. Parabéns !!!!!!

    Agora usou boas fontes para concluir que o DIFERENCIAL não é a INDÚSTRIA …. o DIFERENCIAL é a TECNOLOGIA!

    Observe que o importante é TERMOS CENTROS de DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO …..

    As PÁS dos GERADORES EÓLICOS fazem sucesso pois são EFICAZES ….. TECNOLOGICAMENTE avançados ….

    Assim … o FOMENTO deve ser focado no DESENVOLVIMENTO deTECNOLOGIAS …… a indústria tendo fonte …. se alavancará no mercado.

    PAULO MARCOS

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: