Viva o Treze de Maio!

Alfredo de Oliveira

Presidente do Congresso Nacional Afro-brasileiro

Quando há um ano resgatávamos a poesia de José Aron Sendacz que registrou o 50º aniversário do 13 de Maio, não imaginávamos tamanha tragédia se abatendo sobre brasileiros “de todas as cores”.

Vitória de Zumbi, Luiz Gama e do povo brasileiro. Fora o racismo de Bolsonaro!

Vamos comemorar juntos mais um histórico 13 de Maio. Esta data é nossa, ninguém tira.

Nossos antepassados foram tirados da África, transportados nos horrendos navios negreiros e trazidos para o Brasil, onde foram escravizados.

E apesar da enorme tentativa dos escravistas de arrancar qualquer vestígio de humanidade existente dentro de cada escravo, os negros jamais aceitaram tal situação passivamente.

Inúmeras revoltas e movimentos foram organizados e podemos citar algumas entre as mais famosas: a “Revolta dos Malês”, na Bahia, a “Greve dos Alfaiates”, que durante 2 anos não costurou uma roupa sequer para a Coroa Portuguesa e a seus representantes no Brasil, os inumeráveis quilombos espalhados por este Brasil e que até hoje encontramos seus descendentes, como o “Quilombo de Palmares”.

O sonho de Zumbi se realizou quase duzentos anos depois, com a abolição da escravatura. Na epopéia abolicionista surgiram novos Zumbis dos Palmares, a exemplo do poeta, jornalista e advogado autodidata, Luiz Gama.

A campanha pela abolição foi um amplo e poderoso movimento que uniu diversos setores da sociedade brasileira.

A princesa Isabel assinou a lei, mas a libertação dos escravos foi feita nas ruas, praças, teatros, engenhos, senzalas e até nas casas grandes.

Continuar o 13 de Maio é se erguer hoje na defesa firme da democracia, é brigar pelo desenvolvimento do Brasil.

É lutar em defesa dos direitos dos trabalhadores, contra o desemprego, contra a entrega do nosso petróleo.

Sob o governo Bolsonaro têm ocorrido as maiores atrocidades contra os negros.  A pandemia da Covid-19 já levou quase 430 mil vidas, entre elas muitas negras, pelo descaso desse governo com a proteção do povo e pelo desprezo em comprar vacinas e disseminá-las.

Aconteceram os bárbaros assassinatos de João Alberto, no Carrefour de Porto Alegre, e dos tio e sobrinho no Atakarejo de Salvador, simplesmente por roubarem carne para comer. 

Sem falar que a fome e o desemprego de mais de quatorze milhões de trabalhadores atormentam a população negra.

CHEGA DE BOLSONARO! VIVA O 13 DE MAIO!

E viva o Professor Eduardo de Oliveira, primeiro vereador negro da Cidade de São Paulo, fundador do CNAB e autor do Hino à Negritude!

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, conselheiro da CNTU e Aguaviva, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Foi presidente regional e diretor nacional do Sinal. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: