Castas e Párias

Os psicólogos definiram a “Síndrome da Superioridade Ilusória”. Mas há uma “superioridade”, uma diferenciação real entre as castas em que os sapiens se dividiram, baseada na distribuição do fruto do trabalho social.
Como afirma Wilkerson no trabalho resumido por Nogueira, reduzir jornadas de trabalho é verdadeiramente humano ante o aumento de produtividade.
Em 1930 previa-se que, em cem anos, o crescimento da produtividade do trabalho reduziria a jornada semanal a 15 horas laborais, permitindo mais tempo ao lazer criativo, ao estudo e ao convívio com a família, vizinhos e amigos.
O caminho não parece levar a esse destino, embora países como a Coreia e, agora, a Espanha, tenham reduzido a quatro os dias que os empregadores chamam de úteis. No norte da península asiática, há tempos as sextas-feiras são dedicadas aos estudos sobre os mais variados temas de interesse.
Citado, Henry Ford, primeiro a introduzir a jornada semanal de 40 horas, lembrava que salário é custo, mas também demanda.

Blog Cidadania & Cultura

Com finalidade educacional, fiz uma tradução de extratos de um livro publicado no ano passado, nos EUA, sobre Castas [Caste], indicado na resposta a uma pergunta feita por mim à Lilia Schwarz: devemos rever a história do Brasil à luz das castas? Ela concordou. Fiz isso em Fernando Nogueira da Costa – Complexidade Brasileira: Abordagem Multidisciplinar. Sugiro a leitura do livro de autoria Isabel Wilkerson, cujas ideias centrais são resumidas abaixo, pois ele faz pensar a mistura entre sistema de castas e racismo, lá e aqui.

Fernando Nogueira da Costa. Castas e Párias. Blog Cidadania & Cultura. março de 2021

Coloquei como conclusão meu resumo do debate com outros textos contemporâneos, apresentados na coletânea, sobre políticas públicas para a superação da pobreza. Compartilho abaixo o artigo-resenha (publicado no dia 23/03/21 no GGN).

Esse foi o gesto racista, realizado pelo assessor internacional de Bolsonaro…

Ver o post original 1.537 mais palavras

Publicado por Iso Sendacz

Engenheiro Mecânico pela EESC-USP, Especialista aposentado do Banco Central, diretor do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central e do Instituto Cultural Israelita Brasileiro, conselheiro da CNTU, membro da direção estadual paulista do Partido Comunista do Brasil. Nascido no Bom Retiro, São Paulo, mora em Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: